Cinco alunos entram em detenção na escola e apenas quatro saem com vida. Todos são suspeitos e cada um tem algo a esconder. Numa tarde de segunda-feira, cinco estudantes do colégio Bayview entram na sala de detenção: Bronwyn, a gênia, comprometida a estudar em Yale, nunca quebra as regras. Addy, a bela, a perfeita definição da princesa do baile de primavera. Nate, o criminoso, já em liberdade condicional por tráfico de drogas. Cooper, o atleta, astro do time de beisebol. E Simon, o pária, criador do mais famoso app de fofocas da escola. Só que Simon não consegue ir embora. Antes do fim da detenção, ele está morto. E, de acordo com os investigadores, a sua morte não foi acidental. Na segunda, ele morreu. Mas na terça, planejava postar fofocas bem quentes sobre os companheiros de detenção. O que faz os quatro serem suspeitos do seu assassinato. Ou são eles as vítimas perfeitas de um assassino que continua à solta? Todo mundo tem segredos, certo? O que realmente importa é até onde você iria para proteger os seus.

Ficção, jovem adulto, suspense e mistério | 384 páginas | Editora Galera Record 

Um de nós está mentindo era o lançamento que eu mais queria ler esse ano, desde que vi as resenhas sobre a obra que diziam lembrar Pretty Little Liars, que por sinal é uma das minhas séries favoritas, então é claro que eu fui correndo comprar na promoção da Saraiva. A história é tão envolvente que acabei terminando-a em poucas horas, mesmo que não tenha nada de tão impressionante assim, a narrativa em primeira pessoa chama atenção porque nos vende quatro personagens completamente distintos e totalmente culpados.
Um grupo de cinco alunos acaba indo parar na detenção pelo mesmo motivo: acharam celulares nas mochilas de cada um, o que é terminantemente proibido na escola que estudam. Nate – o desajustado que já foi preso -, Addy – a bonita que vive à sombra do namorado Jake -, Bronwyn – a nerd que quer passar em Yale -, Cooper – o jogador de ouro de beisebol – e Simon, o rejeitado da escola mas que sempre quer chamar atenção. Juntos estão na detenção até que uma tragédia acontece: Simon morre após ingerir óleo de amendoim, a qual é totalmente alérgico.

Minha autoria
Simon comanda o maior aplicativo de fofocas da escola, o que acabou destruindo amizades e namoros ao longo de sua existência. Por coincidência, um dia antes de sua morte, ele iria postar segredos a respeito dos outros quatro colegas de turma que estavam na detenção naquele dia. Com isso, os quatro se tornam os principais suspeitos da morte do garoto, mas será que alguém está brincando com a vida de cada um ou será que temos realmente um culpado? Em quem devemos confiar?

Algumas pessoas são tóxicas demais para viver. Simplesmente são.

Minha autoria

Um de nós está mentindo tem uma trama instigante, ainda mais porque a trama toda se passa no período escolar, lugar onde acontecem as maiores transformações na vida de uma pessoa. Nate, Cooper, Addy e Bronwyn são adolescentes estereotipados, cada um representando uma escala da cadeia social de uma escola. Mas é só!

A partir do momento que vamos conhecendo mais os personagens vamos descobrindo que eles tem muito mais a mostrar do que aparentam, e é claro que alguns chamam mais atenção do que outros ao longo da trama, mas o leitor percebe que cada um vai mudando e se moldando a seu jeito. Addy foi a que mais mudou e a que claramente sofre um relacionamento abusivo com o namorado, Jake. Ver o quanto ela deixou pra trás para realmente ser aquilo que queria foi gratificante não somente para a personagem, mas também para o leitor que queria ver a garota dar a volta por cima.
Minha autoria
Cooper é o atleta estrela de beisebol, mas você percebe que ele vive as custas de agradar o pai. Não gostei muito dele ao longo da leitura, mas quando descobri seu segredo, criei uma empatia pelo personagem. Bronwyn é a espertinha e isso me irritou, mas gostei da forma como ela foi desenvolvida, apesar de não ser minha favorita. E por ultimo temos Nate, que de cara me encantou. Eu tenho aquele apego para personagens problemáticos, e tudo que eu queria falar pro Nate era “vem aqui meu nenê que eu te dou colo”.

Temos romance, temos suspense, mistério mas momentos fofos também. Fica impossível não suspeitar de todos, já que cada um ali tinha motivos suficientes para matar Simon, mas é claro que o leitor vai descobrindo e se surpreendo a cada capítulo. Eu até suspeitei do final mas não da forma como foi apresentado. Posso dizer que gostei muito da história mas de alguma forma senti que ficou faltando alguma coisa. Sabe quando você ama a narrativa inteira mas chega no fim sente que não era tudo aquilo? Apesar dessa consideração, ainda assim optei por dar nota 5 ao livro porque realmente adorei! 
Minha autoria
A escrita da autora é completamente viciante, e ela soube moldar cada personagem a sua escrita, o que foi muito legal. Um de nós está mentindo é um livro gostoso de ler, que cativa o leitor com o desenvolvimento da narrativa, com os personagens e com o rumo que a trama vai seguindo. Mais do que indicado!
Posts criados 1379

19 comentários em “Um de nós está mentindo – Karen M. McManus | Resenha

  1. Também fiqueu com essa sensação de ficou faltando algo… mas eu sempre sinto isso nos YA, e não é pq esse tem um mistério que ia ser diferente.
    Mas eu curti bastante e, trouxa como sou, não desconfiei do culpado… até aqui nenhuma novidade! Hahahaha
    Achei uma boa aposta e seria muito bacana ver uma adaptação!

    Beijos
    – Tami
    http://www.meuepilogo.com

  2. Helloo, Mika! Tudo numa nice?!
    Eu li esse livro recentemente e ao contrário de você achei muito ruim, mal trabalhado e fraco em diversos aspectos. Achei que a autora vilanizou o Simon e seu problema quando de fato não deveria ter feito isso. Distúrbios mentais não podem se tratados da forma que ela tratou, e o Simon definitivamente sofria disso. Eu sabia que você ia gostar do Nate, como eu gostei também ahaha. Também curto personagens problemáticos. O Cooper foi um chato o livro inteiro e nada me fez gostar dele. Absolutamente nada. Achei que a condução da estória foi pífia, não consegui empatizar ou sentir qualquer coisa, o momento que o Simon estava tendo a crise alérgica foi um exemplo. Mas atribuo isso a falta de tato da autora ao descrever a cena, que não me passou nada, drama e emoção alguma. Também achei que as personagens foram trabalhadas muito superficialmente, e muitas coisas aconteceram rápido demais. O livro não funcionou para mim. O desfecho era óbvio e não me empolgou.
    Mas cada um tem sua experiência de leitura, né?!
    Beijin…
    Alana Gabriela | Books and Stuff

  3. Oi, Alana
    Eu gostei da trama. Não acho que a autora usou do tema para tratar esse distúrbio dessa forma, na verdade achei bem interessante a maneira como ela usou o assunto, porque a gente sempre vê só coisas bem deprê a respeito disso nos livros, eu particularmente gostei.
    No fim, curti a trama porque me simpatizei com a escrita da autora, a trama em si e também os personagens que no início não me agradaram.

Deixe um comentário para Alana Gabriela Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Procura algo? Digite aqui e clicle em enter para pesquisar. e ESC para sair

Compre agora o novo Kindle Paperwhite! Músicas para quem ama o universo de League of Legends Spoiler: 3º ato de Arcane Músicas com representatividade LGBTQ+ Bully Romance: o que é + indicações