Seus olhos estão arregalados… Seus lábios estão entreabertos… Seu corpo está congelado… Mas ela não é a única.
Quando um jovem rapaz encontra o corpo de uma mulher debaixo de uma grossa placa de gelo em um parque ao sul de Londres, a detetive Erika Foster é chamada para liderar a investigação de assassinato.
A vítima, uma jovem e bela socialite, parecia ter a vida perfeita. Mas quando Erika começa a cavar mais fundo, vai ligando os pontos entre esse crime e a morte de três prostitutas, todas encontradas estranguladas, com as mãos amarradas, em águas geladas nos arredores de Londres.
Que segredos obscuros a garota no gelo esconde? Quanto mais Erika está perto de descobrir a verdade, mais o assassino se aproxima dela.
Com a carreira pendurada por um fio depois da morte de seu marido em sua última investigação, Erika deve agora confrontar seus próprios demônios, bem como um assassino mais letal do que qualquer outro que já enfrentou antes.


Thriller Policial | 336 páginas | Editora Gutenberg

Andrea, que pertence a uma familia muito importante na politica de Londres, é encontrada morta no gelo dias após a queixa de seu desaparecimento. A detetive Erika Foster, que estava afasta das atividades por um tempo, é chamada para assumir a investigação, já que a mesma é conhecida por desvendar grandes casos, mas esse se mostra mais complexo do que parecia ser.

Ao progredir com a investigação, nossa detetive descobre que há 3 assassinatos de prostitutas que aconteceram no passado podem estar ligados com a morte de Andrea e os segredos da garota podem destruir a boa reputação da família na sociedade.

Temos no livro muitos acontecimentos e situações além da própria investigação em si, mas que se ligam a ela. Erika me pareceu um pouco impulsiva, mas tem um senso de justiça muito bom. Podemos ver que ela dá o máximo de si não apenas por ser seu trabalho, mas porque sabe que o assassino precisa pagar. Ela faz tudo que faz em nome das vitimas, arriscando a carreira e a vida.

No começo pensei que talvez eu poderia não gostar da policial, o que seria péssimo, mas no final de tudo acabei adorando-a, principalmente pela dedicação ao seu trabalho. Há uma rixa entre ela e outro policial, que queria ter assumido o caso e tenta ao máximo roubar o lugar de Erika, que sofre as consequências por seus atos impulsivos.

Quero deixar claro aqui que em todos os momentos os atos de impulsos dela tem uma convicção muito boa. Ela só faz o que faz porque sabe que está certa ou que isso é o melhor a se fazer então não pensem que ela é uma detetive ruim, não! Ao contrário, eu adorei a personagem e achei-a uma profissional muito boa, que sabe o que faz.

Além desse problema com o outro policial, também temos a família da vitima que por não querer estragar a sua visão na mídia, fica tentando controlar a investigação e causando problemas para o lado de Erika, já que eles preferem o policial “rival” da mesma no comando. A mesma família tentar manter os segredos deles longe da imprensa, o que também atrapalha na investigação e nos planos da detetive. Como a família da vitima tem um papel importante na sociedade, eles conseguem isso sem a menor dificuldade.

Quando estamos perto do desfecho, nos últimos capítulos do livro, a história começa a ganhar um ritmo mais intenso até se descobrir quem é o assassino. Daí em diante tudo se torna muito frenético, tirando o folego do leitor, sem dar a chance do mesmo parar de ler.

Gostei bastante da conclusão do livro e de como ficamos sabendo quem havia matado Andrea. Podemos perceber o quanto o caso foi difícil, e o jeito que ele foi solucionado me agradou muito. Não vejo a hora de ler mais livros da protagonista Erika Foster.

24 anos. Ama escrever e falar pelos cotovelos.
Posts criados 121

11 comentários em “A Garota no Gelo – Robert Bryndza | Resenha

  1. Olá,
    Ah, eu comprei o e-book desse em Inglês mesmo, porque estava uns dois reais. Adoro o gênero, mas comecei a ler e achei estranho. Resolvi dar uma pausa. Lendo a resenha, bateu a curiosaidade de novo, com as informações que eu ainda não tinha pego. Achei bem sinistra a cena da Andrea.

    até mais,
    Nana – Canto Cultzíneo

  2. Oi Aline, tudo bem?
    Amo histórias investigativas, então já me interessei.
    Além disso, adorei que a detetive seja uma mulher, algo ainda pouco comum nesse tipo de livro. Vou adicionar ao Skoob pra não esquecer do nome. 😉 Adorei a dica!
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

  3. Oi, Aline

    Eu adoro o gênero, há alguns meses eu só estava lendo thriller, até dei uma paradinha para não enjoar! Hahahah
    Eu tenho o segundo livro dessa série e o que mais chama minha atenção é o fato da detetive ser mulher, li poucos livros com esse diferencial, mas foram leituras ótimas, então estou bem animada para começar!!

    Beijos
    – Tami
    https://www.meuepilogo.com

  4. Oi Aline, eu gosto bastante de romances policiais, mas já faz um tempo que ando afastada de leituras do gênero. Sempre gostei de bancar a Sherlock Holmes nessas histórias e fazendo mil suposições, mas também ficava um pouco assustada com a violência e brutalidade, acho que por ser facilmente impressionada com a narrativa de crimes/assassinatos acabei me afastando do gênero. Vou deixar a dica anotada para leitura futura.
    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

  5. Olá, Aline.
    Eu li o terceiro livro dessa série e amei. A Erika é um personagem incrível e achei a história dela uma história a parte da história do livro. E ela sofre bastante preconceito por ser mulher. Assim que der vou ler esse também.

    Prefácio

Deixe um comentário para Sil Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Procura algo? Digite aqui e clicle em enter para pesquisar. e ESC para sair

Livros com músicos 5 motivos para ler Bone Crier’s Moon 5 autoras de romance de época para conhecer Compre agora o novo Kindle Paperwhite! Músicas para quem ama o universo de League of Legends