Oi, gente como vão? Obrigada por todos os comentários no primeiro post dessa coluna, onde ouvi alguns relatos de vocês sobre suas experiências com línguas, algumas não tão boas assim como a minha, e outras que foram além do esperado. Parabéns aos vencedores que gostam do inglês porque eu realmente detesto!  Enfim, hoje a história é sobre a minha fase emo, aliás, são tantas fases que eu já passei que eu resolvi fazer vários posts relatando as mais excêntricas delas, por isso fiquem ligados!

Minha fase emo

Tudo nesse vida passa por fases, e o ser humano que o diga! Eu já fui amante de pagode, sertanejo, rap, já até tentei ser popular (o que obviamente não deu certo), já tentei ser a engraçada da turma (mas de engraçada só tem minha vida aff). Enfim! Até que eu resolvi optar por virar emo. Claro que isso não aconteceu da noite pro dia, mas eu sempre usei franja no rosto e ela crescia tanto que eu comecei a realmente parecer um daqueles góticos.
Todo mundo aqui em casa ficava me zoando por causa da franja e eu resolvi adotar o estilo, até pesquisei na época no Google dicas de como se tornar emo! Pra vocês terem noção do ridículo que eu fazia e não sabia. Isso porque naquela época, não lembro bem, acho que eu tinha uns 13 ou 14 anos, os emos estavam em seu auge, então todo mundo queria ser um deles, e comigo não foi diferente.
Comecei a usar umas roupinhas nada a ver e que você facilmente encontraria no brechó, até usei All Star de uma cor e outro de outra, tudo pelo ESTILO… Mas é claro que isso não iria durar muito tempo e depois da minha tia fazer um incrível bullying comigo a respeito do meu novo “eu”, eu resolvi abortar missão e voltei a ser a nerd sem graça da escola 🙁

O triste mesmo é que pra ser emo você precisa não somente adotar o estilo mas ter, 1º) cabelo liso, senão sua franja nunca vai ficar legal nesse estilo, e como sempre tive cabelo curto, ficava bem bosta; 2º) ter um rostinho bonitinho, o que claramente EU NÃO TINHA; 3º) tirar fotos tumblr, o que é bem difícil minha gente, tem que ter uma técnica incrível pra você no mínimo parecer legal na foto; e 4º) ter coragem de sair em público porque as roupas são realmente horrorosas. E é claro, eu falhei miseravelmente na minha tentativa de me tornar um emo, mas vida que segue!

E vocês, já tiveram aquela famosa fase da adolescência? Me contem sobre suas experiências!
Posts criados 1379

16 comentários em “Diário de uma ex-adolescente nerd: Minha fase emo

  1. Oi Mi,
    Eu sempre quis passar despercebida na escola. Porém, quando eu fiz uns 14/15 anos, comecei a querer ter voz, quis sair daquele rótulo de 'nerd, certinha'. Bom, eu pintei meu cabelo de rosa, mas confesso que nada mudou, rs. Eu continuei a nerd esquisita, só que agora eu queria aparecer. (insira aqui um emoticon revirando os olhinhos).
    Aí eu cansei. Descobri que eu poderia fazer o que quisesse que sempre seria a 'diferente' para os outros. Então, me aceitei e fui mais feliz depois disso, rs.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br

  2. Oi, Alê. Acho que o importante é a gente se aceitar do jeito que é, mas até lá a gente precisa se descobrir primeiro, o que nos rende muitas experiências boas e ruins, e algumas até divertidas. Eu sempre quis pintar o cabelo mas minha mãe nunca apoiou a ideia kkk

  3. Oi Mi, tudo bem??
    Que saudades de você… andei sumidinha, mas eis-me aqui.
    Eu fui bem gótica. Eu sempre amei preto e coisas obscuras. Eu adorava, aquelas maquiagens pesadas e amava o estilo musical dos góticos. Eu anda em cemitério, ficava lá por horas divagando com os colegas. Imagine no nordeste num calor de rachar usar aquelas roupas pretas e pesadas?? Sofri, mas me diverti. Essa fase de andar vestida a caráter passou, mas eu continuo gostando de algumas coisas… a cor preta me acompanha desde de sempre. Fiquei assim por uns dois anos, entre os 14 e 16. Xero!

    https://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

  4. Oi, Mika!
    Eu participei de todas as modinhas possíveis na vida hahaha como você pode perceber, sempre soube o que queria ser na vida né hahaha
    Mas minha fase emo é uma das que eu mais gostava <3 Tive a franja, os colares e pulseiras de bolinha, os olhos pintados de preto, usava dois cintos de rebites de cores diferentes, all star todo desenhado e escrito… Ou seja, a perfeita emo hahaha
    Olho as fotos e dou muita risada, mas eu adorava o corte de cabelo que o topo ficava mais pro alto que o resto, sabe? haha Adoro relembrar!
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

  5. Oi, Miri! rs.
    Menina eu ri com seus últimos comentários sobre as roupas, viu. Prefiro não comentar sobre meu olhar sobre o estilo Emo de ser.

    Eu sempre fui mais tímido na escola, também nunca fiz questão de ser popular, então pra mim tudo OK. Meu negócio era sentar e ler livros, escutar Sandy e Junior e etc. Agora tive uma fase roqueirinho, não no modo de me vestir, mas na constante playlist entupida de rock.

    XOXO, Di.
    http://www.blogvidaeletras.blogspot.com

  6. Adorei o post e realmente é bem chato a sociedade não aceitar suas mudanças e eu nunca fui assim nerd, mas entendo um pouco você porque minha adolescência inteira usei cabelos de cores diferentes e as pessoas achavam que eu tinha um problema e bem, to aqui de cabelo metade verde e ontem mesmo eu comentei com minha tia que a na faculdade em humanas geral tem cabelo assim e ela "se eles pularem da ponte, tu também pula?". Não consegui não dar um fora daqueles, pois meu cabelo é colorido desde 2013! E simplesmente porque EU gosto EU quis e EU sou dona do meu cabelo e da minha vida 😀

    Beijos
    Próxima Primavera

  7. Oi, Diana. Você sumiu mesmo em!! Menina, como assim você andava no cemitério? Que medo! Eu nunca fui de fazer isso até porque eu sou bem medrosa, mas que legal que essa fase fez com que você tenha boas histórias para contar.

  8. Oi, Clarissa. A sociedade julga tudo o que for diferente sabe? Mas eu gosto de diversidade mesmo e acho legal quando alguém resolve impôr o que gosta. Eu sempre quis pintar meu cabelo mas minha mãe iria me matar então eu nunca pude fazer isso, mas pretendo ainda.
    Beijos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Procura algo? Digite aqui e clicle em enter para pesquisar. e ESC para sair

O que esperar da 3ª temporada de Sex Education 5 motivos para você ler O Inverno entre Nós A moda presente nos romances de época Autores nacionais para conhecer Um clichê, um livro