O garoto da rádio – Rayna Alencar | Resenha

Todos que já ouviram rádio ou ouvem, tem aquele locutor(a) favorito (a) ama a voz dele (a) e fica horas ouvindo a rádio só pela sua voz. Mas e se este locutor que você tanto ama a voz e até sonha com ele fosse quem você mesmo esperava? Se ele for aquele garoto que você não dá a minima? O que você faria? Patricia está na mesma situação, o locutor que ela tanto venera é o garoto que ela nem imagina que é.Sintonize na estação, Horizonte FM e descubra quem é “O garoto da Rádio”.

Romance | 164 páginas | Publicação Independente  

Patrícia Robert Queen é literalmente a maior patricinha da faculdade. Sendo a mais popular, a mais rica e namorando o cara mais gato e também rico do lugar, ela acha que tem o mundo nas mãos. A garota é mimada e nutre uma profunda antipatia com nerds, não suporta nem mesmo estar ao lado deles, e agora que dois novatos chegaram a faculdade também, Patrícia não quer nem saber quem são.
Em uma noite enquanto estava sem o que fazer em casa, Patrícia acaba ouvindo um canal de rádio evangélico, onde a voz do locutor era simplesmente apaixonante. Ela fica tão eufórica com a voz do garoto que faz de tudo para descobrir quem ele é, apesar do mesmo não querer se identificar. Todos os dias no mesmo horário ela acaba ouvindo o programa de rádio, o que a faz começar a mudar e a repensar suas atitudes.
O garoto da rádio não fala somente sobre romance, mas também sobre Deus, alguém que Patrícia antes não acreditava existir. É possível que uma pessoa se apaixone somente por ouvir a voz de alguém? E se essa voz fosse de quem ela menos esperava?
O garoto da rádio eu encontrei por acaso no Kindle e tem uma premissa um tanto quanto interessante. Nada fora do normal, mas eu gostei muito da ideia, principalmente porque temos dois suspeitos de serem o dono da voz. E se você pensou que seria os dois nerds, você acertou. Hugo e Guilherme são amigos mas ambos são muito tímidos, mesmo assim isso não tira a beleza deles que deixam qualquer um suspirando. Iremos conhecer um pouco mais aquele que é o dono da voz, e é impossível não se apaixonar. Ele é tão fofo, tão delicado que eu fiquei babando por ele, sem contar que ele é evangélico, uma característica muito interessante que foi moldando o personagem, e como eu também sou, gostei mais dele ainda.
O problema foi a Patrícia. No início ela era muito mimada mesmo, chegando a ser esnobe e chata. Ela só se preocupava se a pessoa ou era popular ou era rica, e isso é muito desgastante de acompanhar. Sorte a nossa que ela começou a mudar seu jeito de ser. O engraçado e irônico é que mesmo ela sendo uma pessoa fútil, que julga os outros sem conhecer, ela trata muito bem seus empregados, até diz que não vai desprezá-los ou tratá-los mal só porque eles tem uma condição financeira diferente da dela. Aí eu fiquei confusa… A relação dela com a família apesar de pouco aprofundada também é legal de ver. Ela respeita muito o pai e a mãe, o que me leva também a questionar sua personalidade na faculdade ser de um jeito e em casa outro.
A história tinha tudo pra ser maravilhosa, apesar do enredo não tão inovador assim e a protagonista, que no fim acabei gostando, o problema foi desenvolvimento! Dá pra ver de longe que a autora ainda é nova nessa coisa de escrever porque o livro todo careceu de mais desenvolvimento, me pareceu amador. Quase todo o enredo, tirando os diálogos, eram frases de ação. Tipo “entrei em meu quarto, fechei a porta, fui ao banheiro,tirei a roupa…”, isso deixou a narrativa extremamente mecânica e incômoda. Principalmente porque era Patrícia que narrava e ela não fazia muita coisa além de ir pra casa e sair pra estudar. Se a autora pegasse esse livro de novo daqui alguns anos e rescrevesse, tenho certeza absoluta que a história seria muito mais saborosa de ler.
O que salvou mesmo foi a narrativa do garoto da rádio, que conseguiu ser bem mais solta e simples, e também a referência a igreja e religião na trama, porque O garoto da rádio é um romance evangélico e eu achei legal que a autora trouxe algo com mudança de vida, mostrando que sim, Deus pode nos libertar de quem somos. Como eu nunca tinha lido nada do tipo, eu achei bem legal e até gostaria de ler mais livros assim. Outra coisa que eu notei foi que não tem cenas quentes, e um livro hoje em dia assim é bem difícil de ter, então já é outro ponto que pode ser tanto quanto positivo ou negativo.
O garoto da rádio não se mostrou minha melhor leitura somente pelo amadorismo no desenvolvimento da trama, mas eu gostei muito do enredo como todo, e se alguém quiser desenvolver uma história do tipo, eu acho que iria gostar muito.
Postado por Miriã Mikaely

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 thoughts on “O garoto da rádio – Rayna Alencar | Resenha

  1. Oiii Mika

    Achei legal ser um romance cristão, toda a premissa dela se apaixonar pelo garoto da radio com apenas ouvir sua voz e à partir daí repensar a vida foi bacana, que pena que foi tão mal desenvolvido, narratriva mecânica e amarrada assim é bem dificil de acompanhar, ainda bem que é um livro curto. Esse livro me lembrou um pouco Três coisas sobre você, que não é evangélico, mas possui essa premissa de se apaixonar por alguém que vc nem conhece,. apenas através das palavras. Se vc não leu te recomendo muito, é um dos meus YA´s favoritos.

    Beijos

    http://www.derepentenoultimolivro.com

  2. Olá, Miriã.
    Achei bem legal o romance ser evangélico porque nunca encontro algo do tipo. E a ideia do enredo é bem legal também. Eu já me apaixonei pela voz de um locutor, mas nunca cheguei a conhecer hehe. Que pena que a protagonista não ajudou muito. mas ainda assim é algo que eu leria.

    Prefácio

  3. Eu acho que a Patrícia pareceu assim confusa por que creio eu, talvez a personagem só trate bem quem é intimo dela, tipo família, amigos e até empregados… sei lá.
    Quando comecei a ler a sinopse achei a história bem cara de filme adolescente, mas depois eu até gostei da premissa, pena que faltou desenvolvimento. Quem sabe a autora não evolua e traga novas histórias e melhor, mais bem desenvolvidas, não é mesmo?!
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

@blogcapitulotreze