Todo mundo diz que eu sou uma garota má. Eles estão apenas parcialmente certos – eu não deixo o medo me dominar, e eu certamente não me importo com o que as pessoas pensam. Mas traço a linha quando se trata de dormir com o inimigo. Como filha do treinador principal de hóquei do Briar, eu seria difamada se me ligasse a um jogador de um time rival.E é isso que Jake Connelly é. A estrela de Harvard é arrogante, irritante e atraente demais para o seu próprio bem. Mas o destino é cruel – eu preciso de sua ajuda para garantir um estágio muito cobiçado, e o idiota sexy não está facilitando para mim.Eu preciso que Connelly seja meu namorado falso.Para cada encontro falso … ele quer um verdadeiro.O que significa que esta menina má está em apuros. Nada de bom pode vir de se esgueirar com Jake Connelly. Meu pai me mataria, meus amigos se revoltarão e minha carreira pós-faculdade estará em risco. Mas enquanto está ficando cada vez mais difícil resistir à atração sexual e ao sorriso arrogante de Jake, eu me recuso a me apaixonar por ele.Esse é o único risco que não estou disposta a aceitar.

New adult | 432 páginas | Editora Independente 
Brenna Jensen é a única filha do treinador do time de hóquei da Universidade de Briar, sendo assim é normal que a garota tenha vivido em uma grande bolha super protetora. Mas nem isso impede a garota de fazer o que quer, como por exemplo, ficar com garotos, sair pra beber e dormir fora de casa de vez em quando. Assim como o pai, ela é completamente viciada em hóquei e por isso quer desesperadamente de um estágio em uma das grandes emissoras do esporte.
O problema é que jornalismo esportivo é uma parada muito competitiva, ainda mais se você tem uma vagina no lugar de um pênis e quer trabalhar em um lugar onde quase todos são sexistas e machistas. Sua primeira entrevista é uma completa merda. O cara praticamente a ignora e só sabe falar de jogadores e times de hóquei, a ignorando completamente. Ele só se anima quando ela diz que conhece Jake Connelly, o novo queridinho da NHL, que infelizmente apesar de ser um ótimo jogador e ser muito sexy também, joga pela Universidade de Harvard, que neste momento irá enfrentar Briar nas finais.
Não é bem que Brenna conhece Jake, mas eles já se viram algumas vezes e o cara não para de provocá-la, então… não faria mal se ela soltasse uma mentirinha e dissesse que ele é seu namorado, né? Agora ela precisa convidá-lo para um jantar onde ele precisa ser seu namorado falso, mas em troca ele quer um encontro real com a garota. Só que Brenna não é tão fácil de convencer e confraternizar com o inimigo é a pior coisa que ela poderia fazer, mas Jake não desiste fácil e tem a confiança perfeita para fazê-la ceder. 
The Risk é o segundo volume da série Briar U, então se você já ficou louca na resenha do primeiro, The Chase, segue mais a frente, ou se você nem sabe do que tô falando, clica aqui e conheça essa obra.
Eu comecei esse livro completamente eufórica, isso porque eu amei o primeiro volume e queria mais de Brenna e Jake, ainda mais porque já sabíamos que esse lance entre eles, as provocações e tudo o mais, dariam o que falar. E não é que deu? Brenna é aquela personagem bem gostosa de acompanhar porque sua personalidade é cativante, ela não se deixa abater, é uma garota empoderada que sabe o que quer e não tem medo de admitir (apesar de que com Connelly as coisas possam ser um pouco diferente). Eu gostei muito da personagem porque ela é muito mais parecida comigo, seu jeito divertido e despretensioso me interessou desde sua primeira aparição. Só que eu senti falta de sua amizade com Summer. Ela aparece tanto em The Chase que aqui não foi tão desenvolvida, o que deixou a história um pouco morna pra mim.
Jake é aquele cara que sabe que é bom e não tem vergonha de dizer que é. Ele não é bem arrogante, mas é muito confiante, chega dá inveja de tanta confiança minha gente. Além disso, ele é sarcástico, coisa que eu amo nos homens, além de ser divertido e provocador. Ao contrário de Fitz que é praticamente um bolinho sexy, Jake se impõe, ele corre atrás do que quer e batalha duro pra isso. Não é a toa que ele é um dos melhores jogadores de hóquei da temporada, assim como não exita ao ir atrás de Brenna.
Eu adorei acompanhar esses dois porque o embate entre eles sempre saía faíscas, mas confesso que demorou um pouquinho para eu me conectar com a obra. Digamos que eu fui com muita sede ao pote e quando cheguei lá, não foi bem isso que encontrei. Achei o início com um ritmo mais devagar, e só fui consegui me cativar lá pela metade do livro. Mesmo assim não estragou minha experiência com a obra e eu mais uma vez estou apaixonada pela Elle Kennedy e seus personagens.
O legal de Jake é que ele é um cara totalmente de boa, ele não tem problemas pra enfrentar ou um passado pra exorcizar, sendo assim, o drama todo fica a cargo de Brenna, que no início não nos revela nada mas que no fim, consegue até nos cativar (eu chorei minha gente!). 
Ahhhh… aquele final… gente, que final fofo! Eu gostei de me emocionar nessa obra, o que aumentou mais ainda minhas chances de terminar a história com um sorriso no rosto.
Infelizmente os personagens que tanto aparecem no primeiro livro mal apareceram aqui, como Hunter, Hollis e Fitz, mas confesso que adorei o pequeno andamento da história de Hollis e sua pseudo-psicótica-namorada Rupi. Não sei se o terceiro livro (The Play) é sobre ela, mas urraria horrores se fosse porque aquela ali traz muita diversão a obra com suas loucuras e eu amei conhecê-la.
The Risk não começou com o mesmo ritmo que o primeiro livro mas consegue nos cativar e emocionar ao longo da história, o que aqueceu meu coração. Eu adorei essa obra e acredito que vamos só amar mais ainda os demais livros da série. Elle Kennedy continua tão incrível como já era de se esperar!
POSTADO POR MIRIÃ MIKAELY
Posts criados 1379

10 comentários em “The Risk – Elle Kennedy | Resenha

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Procura algo? Digite aqui e clicle em enter para pesquisar. e ESC para sair

Autores nacionais para conhecer Um clichê, um livro Conheça os contos de Blackout Review: Um amor desastroso Review: A maldição do mar