O chefão – Vi Keeland | Resenha

Na primeira vez que vi Chase Parker não causei exatamente uma boa impressão. Eu estava escondida no banheiro de um restaurante, mandando mensagem de áudio para minha melhor amiga me salvar de um encontro horrível. Ele ouviu, disse que eu era uma canalha e começou a me oferecer conselhos não solicitados de namoro. Eu disse a ele que cuidasse de sua própria vida e voltei para meu encontro miserável. Ao passar pela minha mesa ele sorriu e eu assisti seu traseiro sexy e arrogante voltar para seu jantar. Não pude evitar trocar olhares com o idiota condescendente do outro lado do restaurante. Quando o deslumbrante desconhecido e sua acompanhante apareceram de repente em nossa mesa, pensei que ele iria me denunciar. Mas, ao invés disso, ele fingiu que nos conhecíamos e se juntou a nós – contando histórias elaboradas e embaraçosas sobre nossa suposta infância. E, sem que eu me desse conta, meu encontro tedioso se tornou extremamente excitante. Depois que nos separamos, não consegui parar de pensar naquele estranho que jamais veria novamente. Afinal, quais eram as chances de encontrá-lo de novo em uma cidade com oito milhões de pessoas?

Reese conheceu Chase quando ela estava em um encontro que ia de mal a pior e ele a salvou de um constrangimento. Pouco tempo depois eles se reencontraram na academia que Chase frequentava, e que Reese foi para fazer companhia a um novo encontro. Agora que foi recém contratada por uma grande empresa, Chase se tornou chefe dela.
Desde o primeiro contato entre eles existiu uma faísca, que só não foi pra frente por causa de todos os encontros que Reese estava tendo no momento. Só que agora existe outra barreira: ele é o mais novo chefe dela, e tendo se relacionado com um colega de trabalho antes (que por sinal culminou na sua demissão na outra empresa), Reese prefere passar a tentação do que se ver pecando. Mas a determinação de Chase é tão forte que talvez nem ela queira se controlar…
O chefão tem uma problemática simples e é o tipo de livro certo para intercalar com outras obras, ou para sair da ressaca literária. Eu adoro a escrita da Vi Keeland e a forma como ela consegue me encantar com clichês repletos de sensualidade e bom humor. A forma como essa mulher consegue escrever algo simples mas que nos cativa totalmente é incrível (queria pra mim 😅). Além disso ela traz aquela famosa tensão sexual entre os personagens que nos deixam afoitos para saber o que vai acontecer quando eles enfim cederem.

Eu era o equilíbrio para sua insegurança. Ele era a coragem para o meu medo.

Inicialmente rola uma competição de gato e rato, sendo Chase o gato e Reese o rato fujão. Apesar disso, a obra segue um ritmo ágil e bem gostoso de acompanhar. Chase é charmoso, divertido e que sabe o que quer. E neste momento o que ele quer é Reese. Apesar do seu passado sofrido, ele não se deixa abalar quando é confrontado pelos seus sentimentos, bem, mais ou menos hahaha De toda forma, a autora também não aprofunda muito o passado dos personagens, trazendo plots mais simples.
Reese é aquela personagem que a gente logo se identifica e passa a gostar. No lugar dela eu já teria cedido a muito tempo, mas entendemos o porque dela se resguardar em relação ao Chase, que por sinal sabe ser bem incisivo, mas também sabe respeitar o momento de decisão dela.

O medo não para a morte.  Mas, sim, a vida.

Como falei, O chefão não é uma obra mirabolante. Apesar das 300 páginas, ele passa voando por causa da narrativa da Vi, que é maravilhosa. Ele é um livro fofo, engraçado e sexy que com certeza vai desanuviar sua mente de alguma leitura mais densa, porque tem esse propósito. Você se diverte com os personagens e com a narrativa mas com toda certeza não é uma obra que vai te marcar pra vida, sabe? E acho que tendo em vista seu objetivo, que é ser uma comédia romântica leve e tranquila, ele atende muito bem o que propõe.

O chefão | 300 páginas | Editora Essência | Nota: 4/5

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

24 thoughts on “O chefão – Vi Keeland | Resenha

  1. Vi tem uma escrita envolvente e sensual.
    Sim, seus livros são o ápice do clichê e eu amo um clichê, ainda mas tão bem escrito como os da Vi.
    Romance gato e rato também adoroooo.
    O Chefão tá na wishlist faz tempo

  2. Olá, Miriã.
    Eu nunca tive vontade de ler os livros da autora. Mas agora nem vou dizer eu não gosto desse gênero porque depois dos romances dark que eu nunca ia ler e acabei viciada hehe. Vou dar uma chance para a autora sim.

    Prefácio

  3. Cheia dos encontros essa Reese haha! Eu adoro um clichê, já fiquei com vontade de ler esse. Não lembro de ter lido nada da autora, mas já anotei a dica pra sair da ressaca literária, certeza que vou aproveitar a leitura. Eu sou dessas que se apaixona por personagens e só de ler a resenha já gostei do Chase. Esses homens divertidos, decididos e com passados tristes, ai ai.. Adorei sua sinceridade ao dizer que já teria cedido há muito tempo, super entendo!

    Beijos,
    Amanda Almeida

  4. Oiii ❤ Nossa, depois dessa premissa eu preciso ler esse livro!
    Ainda não li nada da Vi Keeland, mas já li várias resenhas positivas sobre seus livros e todo mundo sempre fala que ela tem uma escrita ótima, bem humorada e sensual. Quero muito começar a ler os livros dela, só não decidi com qual começo kkkk.
    Adoro clichês bem escritos, daqueles sem uma carga emocional muito grande, só divertidos e gostosos de ler.
    Beijos ❤

  5. Olá,

    Eu gosto muito dos livros da Vi Keeland!
    Esse livro é muito bom, gostei bastante e é um dos poucos que tenho vontade de reler.
    É como você disse, são leituras bem clichês, mas que mesmo assim, muito boas, que você lê super rápido.
    Super recomendo.

    Beijos

  6. Olá Miriã!
    Estou bem nessa vibe de leituras mais leves e divertidas, ainda mais agora que estou finalizando as provas do semestre (me deseje sorte).
    Já dizia Pablo Vittar que é melhor se arrepender do que passar vontade, o que resume muito bem essa trama. Confesso que acho bem cansativo esse jogo de gato e rato, tipo gente, se beijem logo! E não é como se a autora usasse esse intervalo para desenvolver bem seus protagonistas.
    Mas nem é o propósito de O Chefão, né? O importante é se distrair com uma leitura gostosinha.
    Beijos.

  7. Ainda não li nada dessa autora ,mas pela sus resenha é uma leitura que flui bem ,divertida
    as vezes tudo o que precisamos é de leituras assim ainda mais nesses tempos tenebrosos
    gostei da dica

  8. Oi, Miriã!

    Eu ainda não li nada da autora, apesar de sempre ouvir falar muito bem dela. Acredito que seja pelo meu receio de me arriscar a ler livros mais eróticos rsrs. Mas em relação à história, também ficaria muito ansiosa para a Reese de fato ceder as investidas de Chase, eu fico muito empolgada com situações assim rsrs. Adorei a resenha e a foto ♡

    Beijos!

  9. Olá! Nunca tinha visto (lido) alguém descrever tão bem assim o que a Vi é capaz de nos entregar com histórias tão simples, mas ao mesmo tempo cheia daquela tensão que me deixa aflita pela próxima página! Eu sou completamente apaixonada pela escrita dessa mulher e seus clichês nada clichês!

  10. Olá! Nossa, confesso que adorei essa premissa rsrs! É bem clichê, mas parece o tipo de obra para qualquer hora, leve e divertida, vou adicionar a lista de desejados com certeza!
    Nunca li nada da Vi Keeland, mas morro de vontade, sempre vejo as pessoas falando muito bem a respeito de seus livros.
    Estou animada para acompanhar a relação de Reese e Chase se desenvolver.
    Obrigada pela indicação!
    Beijos!

  11. Oi, Mi

    Recentemente que eu fui conhecer a escrita da autora e foi numa colaboração dela com a Penelope. Achei a escrita gostosa, apesar da história ser bem irritante. Mas estou inclinada a ler livros solos das autoras agora, e como eu gosto dessa coisa de aminimigos, de gato e rato, pode ser que eu leia sim.

    Beijos
    – Tami
    https://www.meuepilogo.com

  12. Eu sou apaixonada nas letras da autora e acredito que se ela escrever uma história com 1000 páginas, a gente(fã) nem vai sentir o peso do livro. rs
    Eu sou fã assumida da leitura mais erótica, mais sensual, ainda mais quando bem escrita. Tá, esses dias fiquei lendo sobre a mesmice do que ela escreve.
    Quem não ama um clichê?? Eu amo e este lançamento já está na lista dos mais desejados!!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

  13. Miriã!
    Essas obras mais clichês e lights são minhas preferidas.
    Realmente os livros da autora são envolventes e não queremos largar até chegar o final.
    Não li esse ainda, mas gostei de saber que tem um certo drama, diálogos interesantes e hilários e o casal bom juntos, que é o mais importante, né?
    cheirinhos
    Rudy

  14. "No lugar dela eu já teria cedido a muito tempo" – kkkkkkkkkkk e quem não cederia???

    Uma coisa que gostei do livro foi que o mocinho não era aquele tipo de cafajeste (que até enjoou de tanto saturar… mentira, enjoei só um pouquinho).
    E mesmo com a justificativa da protagonista teve horas que fiquei irritada ('ô mulher para de ser birrenta')

    A única coisa que senti falta foi do final… eu queria um desfecho mais… fechado rs, do tipo "tá mas o que aconteceu?!".

    É ótimo para tirar ressaca literária.

  15. Olá Miriã!
    Adoro livros despretensiosos desse tipo. Ainda não li nada da autora, mas se você diz que a escrita dela é cativante eu com certeza vou querer ler O chefão. Que maneira mais inusitada os protagonistas se conhecem, já adorei o jeito abusado de Chase de ir se enfiando no meio do encontro dos outros. Também achei louvável a Reese resistir ao envolvimento com ele pois relacionamento com colegas e trabalho, ainda mais o chefe, é são bem complicados. Dica anotadíssima.
    Beijos

  16. Apesar dos elogios, confesso que não curti. O livro aparenta ter ótimos personagens e uma boa escrita, mas dificilmente livros nesse estilo me desperta o interesse. Eu acredito que, o que me faz ficar desinteressado, seja o clichê. Pra quem gosta, com certeza irá amá-lo.

  17. Já ouvi falar super bem dos livros da Vi Keeland, e principalmente dos que ela escreve em conjunto com a Penelope Ward, mas ainda não tive a oportunidade de conferir.
    Gostei do enredo do livro, e adoro um relacionamento de gato e rato entre os personagens. Então pretendo começar a ler esse e outros livros da autora muito em breve.

  18. Oii,
    Eu tô querendo ler mais comédias romanticas e essa parece ser superdivertida e viciante.
    A Reese parece ser bem gente como a gente, então rola logo aquela identificação.
    E ainda não li nada da Vi, mas quero.
    Bjs

@blogcapitulotreze

Livros baseados na história de Cinderela Por quê você precisa assinar o Amazon Prime? 8 motivos para assinar o Kindle Unlimited Todas as edições de Harry Potter publicadas no Brasil Como economizar na hora de comprar livros?