A soma de todos os beijos – Julia Quinn | Resenha

Lorde Hugh Prentice é um gênio da matemática e teve sua perna (e sua vida) arruinada por causa de um duelo com seu amigo, Daniel Smythe-Smith.Nesse livro, conheceremos um pouco da história de Hugh, antes e depois do acontecido. Sua família, o desespero de seu pai para conseguir que um de seus filhos lhe desse um herdeiro, visto que um não é chegado à mulheres e o outro, provavelmente terá dificuldades em encontrar uma esposa, e principalmente em ter filhos.
E, claro, sua relação de amor e ódio com Sarah Pleinsworth, prima mais velha de Daniel, que mesmo antes de conhecê-lo, já odiava Hugh por ter arruinado sua família através desse duelo.
Mas, as coisas começam a mudar quando Honoria, sua prima, pede para Hugh substituir seu padrinho no casamento e para Sarah ser sua acompanhante durante sua estadia, para que ele ficasse mais confortável diante dos familiares de Daniel. E esse tempo se prolonga, já que Daniel se casará duas semanas depois da irmã e resolve torná-los uma única festa…
É claro que eles não se dão no início, mas com o tempo, ainda mais depois do primeiro casamento, quando ela fica impossibilitada de andar, eles deixam as diferenças de lado e começam a se conhecer realmente, e, o que era ódio, acaba se tornando uma paixão avassaladora.
Mas as limitações de Hugh vão ser apenas um dos problemas que o casal enfrentará pelo caminho…

Romance de época | 272 páginas | Editora Arqueiro

Hugh Prentice sempre foi bom em matemática, é por isso que ele sempre foi bom em piquet, um jogo de carteado que requer boa memória e jeito com os números para vencer. Porém, por obra de azar ou de sorte, Daniel Smythe-Smith, seu amigo de longa data, o venceu. Ambos estavam bêbados, mas Hugh estava furioso e por isso, desafiou Daniel a um duelo. Nada ocorreu como ambos pensaram, e Hugh acabou saindo com a perna ferida, ficando manco. O pai dele jurou matar Daniel e durante longos anos, procurou-o fora de Londres.
Foto por Leitora Encantada
Agora, Hugh pôde controlar a vingança do pai e assim, conseguiu trazer seu amigo de volta a Londres. Mas mesmo assim, muitas pessoas não acreditam que ambos sejam amigos, inclusive Lady Sarah Pleinsworth, prima de Daniel. Ela culpa Hugh pela falta de pretendentes, já que após o escândalo de Daniel, muitos cavalheiros não lhe deram atenção em seu debute. Hoje, ela poderia estar casada e se isso não aconteceu, foi justamente por culpa de Hugh. E ele também não admira muito a presença dela, mas por obra de Honoria, que está prestes a se casar com Marcus, ambos terão que fazer companhia um ao outro. E em meio a comentários ácidos e provocações, juntos vão perceber que a ideia que ambos tem um do outro pode estar completamente errada.
MINHA OPINIÃO
Há tempos estava ansiosa para ler a história do misterioso Hugh Prentice. De todas as vitimas do duelo que acabou trazendo o exílio a Daniel Smythe-Smith, Hugh com certeza foi a pessoa que mais saiu machucada (literalmente). O fato de ter uma perna fraca traz muitos sentimentos ruins ao homem, inclusive o de impotência. Hugh acredita que nunca poderá fazer uma mulher feliz e por isso até então nunca tinha se preocupado com tal possibilidade, até conhecer Sarah Pleinsworth.
Foto por Leitora Encantada
No começo achei Sarah muito mimada, irritante e chata. Foi difícil gostar dela porque achava seus motivos para detestar Hugh bem fúteis, mas com o tempo fui aprendendo a admirar seu sarcasmo e sua implicância com Hugh, o que trazia várias risadas de minha parte enquanto completava a leitura. O melhor dos romances são aqueles casais que no início se detestam mas em meio a convivência, passam a se gostar e foi por isso que gostei tanto desta história. Ver o quanto os dois brigavam mas ao mesmo tempo se sentiam afetados pela presença um do outro era bem divertido.
Hugh foi um personagem muito bem construído. Gostei dele do início ao fim e tinha horas que durante a narrativa eu queria pegá-lo no colo e niná-lo. O que achei interessante é que neste volume a autora aborda o homossexualismo e até nos mostra o grande preconceito e a falta de entendimento que o termo tinha naquela época. 
Foto por Leitora Encantada
O romance do casal foi gradativo e no fim, torci muito para os dois. Se no começo detestei Sarah, no final fiquei encantada com ela e sua sinceridade ácida. O livro está muito bem escrito, mais uma vez, e acredito que de todos que li da série até agora, este é o que contém cenas mais quentes, o que não implica em nada na magnificência da obra. Amei tudo, e com certeza se tornou um dos meus preferidos da série.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 thoughts on “A soma de todos os beijos – Julia Quinn | Resenha

  1. Hey, Mi!
    Eu não sou muito de ler romances de época, embora tenha muita vontade de ler alguns que vejo pela net. Esse é um deles. Só leio resenhas positivas a respeito da história, e como você disse, casais que começam se odiando e passam a se amar não tem igual! rs. Fiquei super curiosa para ver o desenrolar dessas história, principalmente pelo fato de Hugh pelo visto, não ter ficado com raiva do amigo. Coisa fofa isso! Acho que vou parar de ser cri cri e dar uma chance para esse cujo título e a capa me deixam babando!
    Mil beijokas – Entre um Livro e Outro

  2. Oi Miriã sua linda!

    Olha de cara eu já pretendia dizer que este era a pior premissa até agora, nao estava me convencendo muito essa ideia da vingança, mas na metade da resenha você explica que o protagonista sair bastante machucado devido à perna dele, eu consigo imaginar isso, naquela época tinha tanto dessas coisas não é ? Gostei da ideia da autora ter usado isso de certa forma para unir o casal, já que ela estava sem pretendentes! Foi uma jogada interesse! Mas eu não gosto de ler coisas que pessoal está comentando demais, eu pretendo ler essses livros mais para frente, mas flor eu adorei demais a sua resenha viu? Que bom que gostou.

    Beijinhos

    Resenha Atual

  3. Oi Mi, tudo bem minha linda…
    Amando ler sua opinião sobre esta série. Eu curti até agora a premissa dos livros e confesso que estava curiosa para saber como se daria a história de Hugh, porque imaginei o sofrimento dele, devido o problema na perna… nesta época qualquer coisa deste tipo, é ruim para os pensamentos deles na época. Imagino que o romance foi gradativo, eu também adoro um casal que se detesta, mas com o tempo começam a se conhecer melhor e as coisas mudam. Xero!!!!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

  4. Oi, Mi

    Eu só li o primeiro até agora, mas eu curti a Sarah, então acho que não vou ter problemas com ela. Se bem que nesse livro podemos conhecê-la melhor… então vamos ver.
    Fiquei bastante curiosa em relação ao Hugh, adoro essa sensação de querer pegar o personagem no colo! Hahahah

    Beijos
    – Tami
    http://www.meuepilogo.com

  5. Oi, Ingrid. Acho que a premissa me interessou bastante porque desde o primeiro volume somos acostumados a ouvir o nome do Hugh como uma espécie de vilão, e ver o desenrolar dos acontecimentos pela ótica dele é muito importante para que gostemos do personagem. Achei tudo maravilhoso!
    Beijo, Blog Leitora Encantada

  6. Oi, Diana. Com certeza esse foi um dos meus livros favoritos. O que mais gosto na autora é ela abordar justamente essa fraqueza do sexo masculino, afinal, ninguém é perfeito e muito menos de ferro, e Hugh me encantou muito por isso.

@blogcapitulotreze

Livros baseados em contos de fadas Por quê é importante ler? Livros que se passam fora dos EUA Um dia: livro x filme 5 bebidas para acompanhar um bom livro