O primeiro livro da série Love in London, da mesma autora de Sempre foi você, traz uma evolvente história de amor e superação. Beth Lawrence tem 29 anos e está com a vida de volta nos trilhos: um emprego que ela ama, um marido rico e uma bela casa estão muito distantes da tragédia que a atingiu quando tinha 19 anos. Porém, uma antiga paixão ressurge e traz lembranças de um passado que ela se esforçou para esquecer.

Niall Joseph é um artista promissor que acaba de retornar de uma temporada de sucesso nos Estados Unidos. Dando aulas como voluntário em uma clínica de reabilitação no centro de Londres, a última pessoa que ele espera ver é a garota que partiu seu coração nove anos antes. Com Niall e Beth trabalhando juntos, o vínculo entre o casal se estreita e a antiga faísca se reacende. Mas nenhum deles pode prever o quanto é difícil trilhar a linha tênue entre amizade e desejo.


Romance | 336 páginas | Editora Universo dos Livros

Beth Lawrence não tem um passado bonito. Aos 19 anos de idade, ela saiu de sua pequena cidade e foi para a universidade estudar História da Arte, mas o que era para ser somente estudos, se transformou em várias festas regadas a muito álcool e muitas drogas. E foi assim que ela conheceu Niall Joseph, também aluno da universidade. Juntos eles viveram um tórrido romance, mas após uma tragédia que fez com que um amigo de ambos acabasse morrendo, eles seguiram caminhos diferentes. 
Dez anos depois, Beth conseguiu reconstruir sua vida. Casada com um homem mais velho e rico, ela é a esposa troféu, e trabalha com crianças em uma clínica para famílias desestruturadas pelas drogas. Tudo estava em seu perfeito eixo, até que Niall reaparece como um artista renomado pronto para dar aulas de graça na clínica, fazendo com que Beth relembre tudo aquilo que viveu e comece a repensar suas verdadeiras paixões na vida.

MINHA OPINIÃO
Desde que li Sempre foi você da Carrie Elks, eu fiquei completamente apaixonada pela escrita da autora. Com certeza meu primeiro contato com seus livros foram da melhor forma possível, e talvez seja por isso que eu tenha lido Um recomeço para o amor com tantas expectativas e tenha terminado o livro com somente um sentimento: decepção.
Infelizmente nada na história me convenceu, seja os protagonistas com sua história de amor e a trama de fundo que conta com Beth e sua experiências na clinica em que trabalha. Primeiro, Beth não é uma personagem que você sente empatia. Tudo o que eu senti dela foi raiva. Raiva pelas suas atitudes egoístas e raiva pela pessoa que ela se tornou apenas porque alguém de seu passado reapareceu. Ela é casada e mesmo sabendo que ama outra pessoa, ela preferiu ficar boa parte do livro mentindo pra si mesma e enrolando pra decidir o que queria. Ora queria ficar com Niall, ora queria salvar seu casamento. Esse mimimi chato me irritou muito. Detesto personagens que acabam tendo atitudes contra seu matrimônio. Pra mim é simples: se você não gosta do seu marido e/ou ama outra pessoa, para de enrola e só termina. Esse negócio de adiar só vai piorar tudo no final.
Além dessa pouca vergonha que a Beth fica fazendo com o marido dela, que por sinal, é muito gente boa, eu não senti nenhuma vontade de torcer para ela e pro Niall. Gente, não vi sequer química entre esses dois. Todo o romance deles é baseado em momentos de quando eles ainda eram alunos e  na maioria das vezes, ambos estavam drogados. Não consigo achar plausível que um romance que era regado somente a sexo e esctasy pudesse perdurar por durante 10 anos, esperando somente o momento certo para que ambos pudessem ficar juntos. Isso sem contar que o Niall é um personagem muito sem graça…
No mais, achei a narrativa super mecânica, como se todos os movimentos e falas dos personagens fossem narradas por um robô, e digo mais, nunca fiquei tão desapaixonada por uma trama de uma autora que eu goste. Acho que a única coisa boa que eu gostei foi de conhecer melhor o trabalho da Beth com crianças que são filhos de dependentes químicos, o que infelizmente retrata muito a vida de várias pessoas mundo a fora, e também, um viés de uma relação com um homem mais velho. Acho que foi a primeira vez que vi um livro onde a personagem é casada com um homem que deve ter no mínimo 20 anos a mais que ela, e ver isso me animou durante a leitura.
Chegando ao final da história, eu confesso que já não aguentava mais nenhum segundo. Muitas partes do livro eu fui passando e somente lendo os diálogos. Para vocês verem o quanto a obra foi broxante. Mas para não desanimarem do livro ainda, eu sugiro que vão no skoob e vejam as notas, porque a maioria são muito boas, e isso me faz pensar que talvez eu não tenha lido o livro em um momento bom.
No mais, Um recomeço para o amor conta com uma trama interessante porém cheia de personagens enfadonhos, que não conseguem criar a empatia com o leitor. Eu me senti totalmente decepcionada com toda a história, porém indico para aqueles que querem conferir a obra por si só.
Posts criados 1379

14 comentários em “Um recomeço para o amor (Love in London #1) – Carrie Elks | Resenha

  1. Oi, Miriã!
    Já tinha lido resenhas de outros livros dessa autora, desse é a primeira. Caramba, que experiência ruim a leitura, hein?! Muito chato quando isso acontece, ainda mais quando pegamos o livro cheias de expectativas, né?! Que a próxima leitura seja melhor! 😉

    Beijos, Entre Aspas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Procura algo? Digite aqui e clicle em enter para pesquisar. e ESC para sair

Livros com músicos 5 motivos para ler Bone Crier’s Moon 5 autoras de romance de época para conhecer Compre agora o novo Kindle Paperwhite! Músicas para quem ama o universo de League of Legends