Sinopse: Ainda recém-casado, o conde Tristan deixou sua esposa para defender o ducado da Bretanha. Dois anos se passaram desde a última vez que Francesca vira o belo rosto do marido. Durante todo esse tempo, ela escreveu incessantemente para Tristan, mas não recebeu resposta. Nem mesmo após descobrir que não era a filha verdadeira do conde Myrrdin. Aflita, ela esperava receber o pedido de anulação do casamento a qualquer momento. Porém, quando Tristan retorna, Francesca percebe que não é a única assombrada por segredos do passado.

Romance | 295 páginas | Editora Harlequin Books | Nota: 4/5

Francesca aos 16 anos se casou com o conde Tristan des Iles, mas após ele ter sido chamado para um trabalho diplomático em nome da Duquesa, ele e Francesca nunca mais se viram. Somando o fato de Francesca ter descoberto não ser a filha legítima do conde Myrrdin, ela acabou indo embora da Bretanha por não achar que ali seria mais o seu lugar.
Há dois anos Francesca constantemente envia cartas ao marido que são igualmente ignoradas. Sua maior suspeita é que agora não sendo mais uma lady da sociedade, ele queira pedir a anulação do casamento pois casou-se com ela com a esperança de um dia herdar as propriedades de Myrrdin. Até que em um certo baile, Tristan não só volta para casa como diz que tem notícias importantes para Francesca: aquele homem que sempre considerou seu pai está morrendo.
Foto por Leitora Encantada
Eles agora precisam voltar a Bretanha antes que o pior aconteça mas mesmo que Tristan tenha chegado disposto a pedir a anulação do casamento, lembrar-se das poucas semanas de casado ao lado de Francesca sem toma-la para si requer um grande esforço. E pior, Tristan tem outros segredos que não poderá revelar a sua bela esposa assim como há alguém querendo fazer mal a ela com a esperança de atingi-lo. 

MINHA OPINIÃO

Sabe quando um livro começa mostrando uma história maravilhosa e muito bem construída, mas no final acaba se perdendo? Senti isso quando lia Cartas para uma falsa dama. Apesar dos personagens terem sido bem desenvolvidos ao longo da trama, quanto mais eu ia chegando ao ápice da leitura, mais via falhas com o desenvolvimento do fim da história. Calma, não desanime que eu vou explicar!
O livro se passa em 1176 e é narrado em Paris, ou seja, um período muito distante dos nossos romances de épocas, mas isso nada mudou o tom da história, até porque a sociedade e os costumes eram do mesmo jeito. Francesca é uma personagem muito apegada a ideia de estar casada com um homem de renome, por isso, ao saber que não é herdeira de nada, ela sabe que Tristan deveria se casar com outra dama para que consiga as posses que ele sempre quis.
Foto por Leitora Encantada
Mas mesmo assim, Francesca acredita que seu marido possa ter se apegado a ela nos poucos dias que ficaram juntos, assim ela poderia ter sua tão sonhada família, mas o silêncio de suas cartas provam o contrário. O que ela não sabe é que Tristan também acredita que Francesca renunciou ao casamento já que nenhuma das quatro cartas que enviou a ela foram respondidas, ou seja, as cartas foram extraviadas e ambos acreditam que um não quer falar com o outro.
Tristan chega a uma de suas casas disposto a pedir a anulação do casamento assim que levar Francesca de volta a Bretanha, mas ficar do lado de sua jovem e linda esposa, que parece cada vez mais encantadora, parece difícil. Assim que descobre o problema das cartas, ele decide que precisa reconquistá-la, afinal, foi culpa dele por ter aceitado ter ido tão depressa defender seus deveres diplomáticos e ter deixado sua esposa ao léu.
Francesca precisa acreditar que Tristan realmente a quer junto de si mesmo com sua nova condição, já que ela é uma ninguém, não tem pais, não tem sobrenome. Me compadeci muito da situação da Francesca por ter descoberto que ela não era a verdadeira filha de um conde. Imagina só você a vida toda imaginando ser herdeira de algo e descobrir que na verdade você não é herdeira coisíssima nenhuma. Foi um baque para Francesca e mais ainda por não ter seu marido ao lado para apoiar.
Foto por Leitora Encantada
O livro vende o romance do casal mas também vende ação, já que temos um vilão na história. Acontece que eu esperava muito mais dessa parte, porém, todos os problemas apresentados ao longo da narrativa foram facilmente resolvidos. Sem contar que assim que Francesca descobre o segredo do seu marido, ela nem teve tempo de sentir mágoa já que tudo de “importante a se resolver” a autora deixou para o final. Ou seja, era um emaranhado de cenas e situações todas juntinhas no final, cada uma tentando caber nas últimas páginas do livro, e acabaram sendo mal desenvolvidas, o que foi broxante.
A história começou realmente me cativando, mas acabei frustrada com o desenrolar do fim. Mesmo assim, a autora tem uma escrita carismática e até mesmo gostosa de ler. As cenas são bem trabalhadas e a intimidade do casal foi bem descrita, eu adorei isso. Cartas para uma falsa dama se mostrou um romance histórico muito adorável, bom para aqueles que gostam do gênero.
Posts criados 1379

10 comentários em “Cartas para uma falsa dama – Carol Townend | Resenha

  1. Oi, Mi

    Que pena que o livro teve essa queda no ritmo. :/
    No dia da Amazon Day eu quase o comprei, mas acabei mudando de ideia porque não sabia nada sobre o livro. Pois logo depois ja li algumas resenhas e em todas tinha algum ressalva sobre o desenvolvimento… então tem mesmo algo de torto aí…

    Beijos
    – Tami
    http://www.meuepilogo.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Procura algo? Digite aqui e clicle em enter para pesquisar. e ESC para sair

A moda presente nos romances de época Autores nacionais para conhecer Um clichê, um livro Conheça os contos de Blackout Review: Um amor desastroso