Lily nem sempre teve uma vida fácil, mas isso nunca a impediu de trabalhar arduamente para conquistar a vida tão sonhada. Ela percorreu um longo caminho desde a infância, em uma cidadezinha no Maine: se formou em marketing, mudou para Boston e abriu a própria loja. Então, quando se sente atraída por um lindo neurocirurgião chamado Ryle Kincaid, tudo parece perfeito demais para ser verdade.
Ryle é confiante, teimoso, talvez até um pouco arrogante. Ele também é sensível, brilhante e se sente atraído por Lily. Porém, sua grande aversão a relacionamentos é perturbadora. Além de estar sobrecarregada com as questões sobre seu novo relacionamento, Lily não consegue tirar Atlas Corrigan da cabeça — seu primeiro amor e a ligação com o passado que ela deixou para trás. Ele era seu protetor, alguém com quem tinha grande afinidade. Quando Atlas reaparece de repente, tudo que Lily construiu com Ryle fica em risco.
Com um livro ousado e extremamente pessoal, Colleen Hoover conta uma história arrasadora, mas também inovadora, que não tem medo de discutir temas como abuso e violência doméstica. Uma narrativa inesquecível sobre um amor que custa caro demais.
New Adult | 368 páginas | Editora Galera Record 
Meu primeiro contato com a Colleen Hoover foi esse ano, com o livro “O lado feio do amor” e eu gostei muito dessa autora tão amada. Quando tive a oportunidade de ler seu mais novo lançamento, não pensei duas vezes.

Lily — diz ele, enfaticamente. — Não existe isso de pessoas ruins. Todos nós somos humanos e, às vezes, fazemos coisas ruins.

Lily Bloom é uma garota ousada e corajosa. Depois de enterrar seu pai — um homem que ela odiava por bater em sua mãe — ela precisava de um tempo para si mesma, e como sempre fazia subiu ao terraço de um prédio e lá ficou pensando nos seus últimos dias. Até Ryle Kincaid aparecer.

Dali, começaram a conversar e contar verdades nuas e cruas um ao outro. Lily ama floricultura, quer se casar um dia. Ryle tem aversão a relacionamentos e nunca transa duas vezes com a mesma garota. Depois desse encontro, não conseguem mais para de pensar um no outro, imaginando que não irão mais se encontrar. Um grande engano.

As plantas precisam ser amadas do jeito certo para sobreviver. Os humanos também. Desde que nascemos, dependemos do amor de nossos pais para continuarmos vivos. E, se eles demonstrarem o tipo certo de amor, nos tornamos pessoas melhores [ … ] Se formos negligenciados, acabamos sem ter onde morar e incapazes de fazer qualquer coisa importante.

No decorrer da leitura, podemos acompanhar o passado da Lily, através de um diário de cartas que ela escreveu quando tinha 15 anos, e rê-la agora, aos 23. Nesses relatos podemos conhecer mais sobra a violência domestica que nossa protagonista acompanhava todos os dias dentro de sua casa e também seu relacionamento com Atlas, um garoto de rua que ela ajudava.

Todo mundo erra. O que determina o caráter de uma pessoa não são os erros cometidos. É como ela usa esses erros e os transforma em aprendizados, não em desculpas.

A relação de Lily com Atlas é linda, e o final do relacionamento deles foi a primeira cena que me fez chorar nesse livro. Eu sabia que algo ruim iria acontecer ao Atlas, mas não imaginava como aconteceu.

Depois de se reencontrar com Ryle e conquistar um envolvimento amoroso com o mesmo, Atlas reaparece na vida de Lily, e ela percebe que nunca o esquecera. Seu amor por Ryle era maior, mas problemas — e grandes problemas — em sua relação com ele fariam Lily pensar duas vezes em continuar seu relacionamento.

As pessoas passam tanto tempo se perguntando por que as mulheres não vão embora… Onde estão as pessoas curiosas do porquê os homens serem violentos? Não é aí que deveria estar a culpa?

Ao iniciar o livro, achei que seria parecido com “O lado feio do amor”, mas Ryle é diferente de Tate (personagem do outro livro de Colleen Hoover) e com toda a certeza Lily é uma mulher bem mais forte e corajosa, depois de tudo que enfrentou na vida.
Sabe aquele livro que você termina e tem vontade de começar tudo de novo? Esse livro é assim! Eu senti que ele não parece ter nem metade das páginas que realmente tem. A história passou tão rápido que eu nem vi, gostaria que tivesse demorado um pouco mais. A escrita da Colleen é incrível. Apesar do conteúdo pesado, a narrativa da autora é super leve. 

Sei que você acredita que ele te ama, e tenho certeza de que isso é verdade. Mas ele não está te amando da maneira certa. Ele não te ama como você merece ser amada.

O final é lindo, e eu gostei mais do que pensei que poderia gostar. É claro que o livro me fez chorar — e tenho a impressão que todos da autora farão o mesmo — e chorei até com a nota da autora. Leiam essa parte que a maioria ignora, nesse livro é lindo e cada palavra da Colleen Hoover me tocou. Com toda certeza é um livro que vale a pena, e pode mudar a visão de muitas pessoas sobre a violência domestica. 

24 anos. Ama escrever e falar pelos cotovelos.
Posts criados 82

18 comentários em “É Assim Que Acaba – Colleen Hoover | Resenha

  1. Oi Aline, tudo bem? Esse livro está super badalado na blogosfera, né! Já está na minha estante aguardando a leitura, mas estou me preparando psicologicamente antes de pegá-lo para ler, pois pelo que já li em outras postagens sobre o livro é muito emocionante, realmente de chorar. Aliás, os livros da CoHo que li até hoje todos são muito tocantes. Quero muito ler esse, espero que esse ano ainda.
    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

  2. Olá, tudo e contigo?
    Eu peguei o livro como quem não quer nada. Sei que a CoHo me faz chorar, não importa o quão pronta eu esteja. Já aceitei! haha
    Leia logo, espero que goste ♥

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Procura algo? Digite aqui e clicle em enter para pesquisar. e ESC para sair

5 livros para ler ainda em 2021 8 livros para ler no Halloween 6 livros para ler durante a infância Conhecendo termos literários Como limpar seus livros e a sua estante?