Em uma cidadezinha na Nova Inglaterra, mais de meio século atrás, uma sombra recai sobre um menino que brinca com seus soldadinhos de plástico no quintal. Jamie Morton olha para o alto e vê a figura impressionante do novo pastor. O reverendo Charles Jacobs, junto com a bela esposa e o filho, chegam para reacender a fé local. Homens e meninos, mulheres e garotas, todos ficam encantados pela família perfeita e os sermões contagiantes.
Jamie e o reverendo passam a compartilhar um elo ainda mais forte, baseado em uma obsessão secreta. Até que uma desgraça atinge Jacobs e o faz ser banido da cidade.
Décadas depois, Jamie carrega seus próprios demônios. Integrante de uma banda que vive na estrada, ele leva uma vida nômade no mais puro estilo sexo, drogas e rock and roll, fugindo da própria tragédia familiar. Agora, com trinta e poucos anos, viciado em heroína, perdido, desesperado, Jamie reencontra o antigo pastor. O elo que os unia se transforma em um pacto que assustaria até o diabo, com sérias consequências para os dois, e Jamie percebe que “reviver” pode adquirir vários significados.
Terror | 376 páginas | Editora Suma de Letras 
Narrado em primeira pessoa, acompanhamos a história através do olhar de Jamie Morton, um menino de seis anos que conhece o novo reverendo da cidade, Charles Jacobs, enquanto brincava com seu novo presente de aniversário e se torna um grande amigo do homem que vem renovar a fé da cidade.
Charles é um homem muito novo, com uma esposa e filho, mas logo que chega pela cidade é adorado por todos com suas pregações. O mesmo reunia as crianças da cidade para cantar e passar a palavra de Deus, apaixonado — ou fissurado — pela eletricidade, usava-a para fazer brincadeiras e exemplificar suas pregações nesses encontros.

Após uma tragédia na vida do reverendo, Charlie é expulso da cidade por algo que ficou conhecido como “Sermão Terrível”. Os anos passam, e Jamie Morton cresce, se tornando um grande viciado em heroína. Quando sua vida está quase no fim por conta de seu vício, nosso protagonista encontra seu velho amigo, o reverendo Charlie Jacobs, em um festival fazendo show com sua eletricidade.

Após esse reencontro, James descobre que o ex pastor está pesquisando uma eletricidade secreta e isso o preocupa. Será que Charlie sabe com o que está mexendo? Qual é o objetivo final do reverendo? A respostas dessas perguntas podem fazer James se arrepender de querer a resposta.
O livro é construído aos poucos, com vários reencontros de Charlie e James, até o acordo final. Apesar do livro não ter um ritmo frenético, ele não é lento ou cansativo já que o mesmo te prende por conta da curiosidade.
Mesmo após a páginas 200 eu não conseguia formar uma opinião se o livro era bom ou não, mas não me passou pela cabeça em nenhum momento abandona-lo. Pelo contrario, eu queria ler cada vez mais para saber o que iria acontecer com os experimentos — e a loucura — de Charlie Jacobs.
Ao final do livro eu só conseguia pensar QUE LIVRÃO!!!! E apesar de não ter lido tantos livros assim de Stephen King posso dizer que esse é o meu favorito até agora. A narrativa é bem marcada pelas características do mestre do terror, que é difícil de explicar já que a mesma é incrível.

O livro não me causou medo, e é difícil por em palavras os sentimentos ao ler esse livro. Gosto muito do jeito que King construiu a história e os personagens, nos mostrando em primeira a vida de Jamie e seu caminho a ruína no vicio, mas o que eu mais gostei foi da construção de Charlie e sua fissura pela eletricidade.
As pesquisas que duraram por anos e seus avanços no conhecimento da eletricidade secreta consegue formar a personalidade do ex-reverendo e nos deixando com a mesmas duvidas de Jamie. Afinal, qual era o objetivo final de Jacobs? Ele mesmo sabia? E a resposta dessa pergunta é perturbadora, longe de qualquer coisa que você poderia imaginar.
Na sinopse do livro é entregue que há algo sobre ressurreição ou reviver (o próprio titulo entrega isso), e você pode achar que isso torne o livro um pouco previsível, ou que essa seja a resposta para as nossas perguntas durante a leitura, mas você vai descobrir estar enganado.
Em revival, Stephen King fugiu dos padrões do que as pessoas podem pensar sobre reviver e vida após a morte. Com toda certeza é uma grande obra com um alto nível de criatividade e acontecimentos sombrios.
24 anos. Ama escrever e falar pelos cotovelos.
Posts criados 95

20 comentários em “Revival – Stephen King | Resenha

  1. Oi, Mika!
    Eu só li um livro do autor, pois não sou muito chegada em livros de terror. E confesso que não gosto muito da pegada sobrenatural que ele coloca em absolutamente tudo hahaha Mas sua resenha me deixou curiosa com esse livro. Ele não parece ter terror, como você mesma disse, e parece ser uma leitura surpreendente. Vou colocar na lista!
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

  2. Olá, Aline.
    Eu particularmente não gosto muito dos livros do autor. Acho que ele enrola muito para chegar nas partes interessantes e com isso fica aquele tijolão com a maior parte de história chata. Mas sei que o povo ama e que bom que gostou.

    Prefácio

  3. Oi Aline!
    Eu gostei de Revival, mas já li livros melhores do King. Acho que tive a experiência contrariaria da sua: no início eu estava achando muito promissor, mas depois me decepcionei um pouco. Mas ainda assim, ótimo livro. É dificil o SK errar a mão porque ele é muito bom criando personagens e nisso Revival acerta em cheio, principalmente com o Jacobs.
    Beijos,
    Alem da Contracapa

  4. Oiii Aline

    Do King só li Misery e confesso que fiquei um pouco decepcionada, esperava mais terror e também achei a escrita dele ali pausada demais, reflexiva em excesso.
    Revival tem uma proposta legal, é bom às vezes fugir da mesmice e do comum e o King é mestre nisso, ele se arrisca mesmo. Quero voltar a conferir outros títulos do autor em breve, quem sabe até mesmo esse.

    Beijos

    http://www.derepentenoultimolivro.com

  5. Oi Aline,

    Quando vejo que a resenha é sobre um livro de suspense ou terror já começo a leitura com um olho fechado de tanto medo, mas pela tua resenha vi que esse livro não deve ser tão assustador assim (ou pelo menos parece não ser).
    Ainda não li nenhum livro do Stephen King e tenho muita curiosidade em conhecer alguma obra desse grande mestre, como é conhecido por muitos leitores, mas ainda não tive coragem de ler, porque sou medrosa em níveis altíssimos.
    Enfim, acho que esse seria um bom livro para começar, talvez não me aterrorizaria tanto.

    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Procura algo? Digite aqui e clicle em enter para pesquisar. e ESC para sair

A moda presente nos romances de época Autores nacionais para conhecer Um clichê, um livro Conheça os contos de Blackout Review: Um amor desastroso