Desde que testemunhou a morte do marido durante as Guerras Napoleônicas, Imogen, lady Barclay, se isolou em Hardford Hall, na Cornualha. O novo dono da propriedade ainda não apareceu para reivindicá-la, e ela torce desesperadamente para que ele nunca venha acabar com sua frágil paz.

Percival Hayes, o novo conde de Hardford, não tem nenhum interesse na região distante da Cornualha, tanto que, desde que recebeu o título, nunca quis conhecer o lugar. Mas em seu aniversário de 30 anos ele está tão entediado que decide impulsivamente fazer uma visita às suas terras.

Ao chegar lá, fica chocado ao descobrir que Hardford não é o monte de ruínas que imaginou. Fica perplexo também ao constatar que a viúva do filho de seu predecessor é a mulher mais linda que já viu.

Em pouco tempo, Imogen desperta em Percy uma paixão que ele jamais pensou ser capaz de sentir. Mas será que ele conseguirá resgatá-la da infelicidade e convencê-la a voltar à vida?

Após ter perdido o marido nas guerras napoleônicas, Imogen Hayes passou toda a viuvez no condado de Hardford pelas boas graças do sogro. Mas desde que o velho morreu há dois anos, o novo conde nunca fez sequer uma visita, o que não seria problema para Imogen, já que ela não gostaria de ter que conhece-lo.

Mas de um dia para o outro, Imogen e os habitantes de Hardford receberam uma carta avisando que o novo conde estava a caminho. E assim que Percival Hayes surgiu com toda sua pompa, ela sabia que não iria gostar dele.

Percy tem a vida perfeita. Pais amorosos, dois diplomas, muito dinheiro e até um novo título. Mas agora que completou 30 anos de vida, ele sente que algo está faltando. O pensamento inquietante fora tanto que ele resolveu sair de Londres e visitar Hardford em um impulso, depois de passar dois anos sem sequer ter pisado lá desde que herdou o lugar.

Achando que fosse chegar a um lugar decrépito, ele descobre que o lugar é uma grande fortaleza nas penínsulas da Cornualha, e que o lugar não está abandonado, pelo contrário, existem três senhoras morando lá, alguns criados e um tanto de animais “abandonados”.

O primeiro contato dele com Imogen não é o dos melhores. Na verdade, Percy que nunca fora ofensivo com uma mulher conseguiu sê-lo em pouco tempo só em estar presente à viúva. E Imogen também não teve a melhor impressão dele, mas agora que Percy planeja passar um tempo pelo lugar, ela precisará lidar com ele até que possa ir para Penderris Hall, onde irá se encontrar com os amigos Sobreviventes.

Eu amo a escrita da Mary e depois do marasmo de Uma promessae nada mais, essa obra foi como um sopro de ar fresco para mim. Me lembrou um pouco enredos de outras histórias, como Uma herdeira apaixonada e Paixão ao entardecer, mas como já sabemos, a escrita da Mary é bem mais profunda e poética do que os demais romances de época, o que torna sua escrita bastante especial.

Era um som de puro divertimento, e ocorreu a ele, com um sobressalto, que podia estar se apaixonando por aquela mulher – mesmo sem saber muito bem como funcionava aquele negócio de se apaixonar.

Imogen é a única mulher do Clube dos Sobreviventes, que após as guerras napoleônicas se tornaram amigos e possuem uma espécie de encontro anual para conversarem ou não sobre suas vidas. Apesar de sempre aparecer nas histórias, exceto nas duas anteriores, não sabíamos quase nada sobre sua pessoa, além de ser viúva e que assistiu a morte do marido. E a Mary continua escondendo certas informações a respeito do passado da personagem ao longo de toda a história. Tanto que muitas vezes na leitura eu fiquei com um certo ressentimento dela por ser tão mimizenta com algumas coisas, e no fim, pude descobrir melhor o que aconteceu e assim entender os dilemas que Imogen estava passando.

Percy é um personagem perfeito. Sério. Em relação a sua personalidade, ele é bem apessoado, divertido, rico, educado… tudo aquilo que não nos chama tanta atenção. O que nos envolve mesmo é ver os conflitos internos do personagem. Ele tem tudo, mas por que se sente tão vazio? Parece que Percy está passando por uma leve crise dos 30 anos, onde não sabemos o que queremos e sentimos que não fizemos nada com todos os anos que já foram. E ver ele tendo esses questionamentos foi muito interessante, o que causou muita empatia pelo personagem.

Viver não é só uma questão de permanecer vivo, não é? O que importa é o que se faz com a vida.

O primeiro encontro entre ele e Imogen foi bem rude e já percebemos que eles vão se odiar momentaneamente, mas depois de tanto conviver, terão que engolir o orgulho e se tornar “amigos”. E foi dessa mesma maneira. Mas o fato de Imogen sempre se conter para não desfrutar de momentos felizes foi algo que chamou bastante atenção dele, o que o faz se interessar mais ainda por ela, e claro, fazer Imogen odiá-lo ainda mais por ficar tão perto.

Eu achei esse livro muito mais interessante do que o anterior. Ralph e Chloe fazem um bom casal, mas a história em si não foi tão gostosa de acompanhar, senti que faltou algo. E Um beijo e nada mais entregou tudo o que eu estava esperando. A relação entre os personagens acontece de forma gradual, até demora mais do que estamos acostumados e a autora até entrega um certo mistério em suas páginas, o que complemente toda a obra.

Eu já estava até ficando órfã da série achando que já tinha terminado, mas fiquei sabendo que ainda teremos o livro do George, o último sobrevivente, e também o dono de Penderris Hall, então estou bastante animada para o último volume da série. Espero que a autora entregue um romance de dar água na boca e um epílogo digno para fechar a história de todos os personagens. 

Clube dos Sobreviventes #6 | 288 páginas | Editora Arqueiro | Nota: 5/5

Posts criados 1379

13 comentários em “Um beijo e nada mais – Mary Balogh | Resenha

  1. Adoro quando o relacionamento dos personagens flui devagar, a gente consegue se envolver e apreciar muito melhor e pelo visto a autora consegue passar isso muito bem e ainda adicionar um toque misterioso a trama. Gostei muito, geralmente quando o casal não se bica num primeiro momento a história que se segue sempre é maravilhosa

  2. Bem que fiquei 🤔 ao descobrir que Percival tem A Vida perfeita. Mas não o clube não era só para os sobreviventes? 🤔
    Agora entendi….
    As vezes alguns personagens guardam tantos segredos e tem certas atitudes que nos fazem ter ranço, mas depois ao descobrir o porquê de agirem assim, passamos a entendê-los

  3. Ola
    Eu amo romances de epoca mas ainda náo conheço a escrita dessa autora táo elogiada .
    Gosto quando ha essa evoluçáo dos personagens e tambem por trazer um mocinho que tem muito questionamentos interiores .parece ser um casal apaixonante essa serie esta na minha lista de desejados

  4. As capas dessa série são uma graça e todo mundo fala tão bem dela, que fico com vontade de conhecer também. Adoro essa história de amor e ódio, já sabemos mais ou menos o que esperar, mas é sempre divertido acompanhar.
    Beijos

  5. Olá,

    Acho que nunca li nenhum romance de época onde a protagonista é viúva, então já fiquei curiosa como a autora vai trazer isso.
    Já tive contato com a escrita da autora, em outra série dela, e gostei muito! Ele escreve muito bem e deixa a gente com o coração quentinho!

    Beijos

  6. Miriã!
    Bom ver que esse livro foi um refresco e brisa em suas leituras, principalmente porque a leitura do outro livro não foi uma experiÊncia muito boa. Deve ter sido um dos melhores livros da série e preciso ler com urgência, fiquei bem curiosa para saber o segredo de Imogen e a evolução de Percy, sem contar com os diálogos.
    cheirinhos
    Rudy

  7. Pela sua resenha bem escrita, diga-se de passagem, dá pra ver que o livro possui aqueles personagens que você tem prazer de ler, sabe?! Com personagens bem construídos, numa série que o livro posterior é ainda melhor que o anterior, já dá pra ver que o livro vale a pena ser lido!

  8. Olá, Miriã.
    É preciso ter um livro do George. Se não tiver eu morro hehe. Até agora li até o segundo livro e hoje pretendo ler O Pretendente. Todo mundo que conheço está bem ansioso para ler o livro dela mas eu não me apeguei tanto assim. Vou ver se mudo minha opinião no decorrer dos livros hehe.

    Prefácio

  9. Olá! Realmente Percy é um personagem maravilhoso, e só mesmo a Mary Balogh para me fazer suspirar por um mocinho de nome Percival. Também achei que demorou um pouquinho para sabermos todos os segredos da Imogem, por isso, confesso, tive certa dificuldade em simpatizar com ela, estou bastante ansiosa pelo ultimo volume dessa série.

  10. Você já respondeu uma dúvida minha, de quantos livros teria essa série.
    Os personagens dessa série sofrem demais com a guerra ou com o resultado dela em suas famílias e depois pensam que não merecem viver e ser amados. Deve ter as passagens tristes, mas que no fim dá tudo certo.
    Eu amei a cor dessa capa, beijos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Procura algo? Digite aqui e clicle em enter para pesquisar. e ESC para sair

O que esperar da 3ª temporada de Sex Education 5 motivos para você ler O Inverno entre Nós A moda presente nos romances de época Autores nacionais para conhecer Um clichê, um livro