Quando o bookstagram surgiu a gente (blogueiro) já tava plantando banana lá né? Aloka! Essa nova comunidade de leitores no instagram está cada vez mais crescendo. Todo dia eu vejo perfis novos surgindo, muita gente migrando e disposta a compartilhar seu amor pelos livros. Mas vamos ser sinceros que quanto mais gente tem, mais a plataforma se torna um tanto difícil de administrar… isso porque o bookstagram tem tantos problemas quanto qualquer outra rede social, e apesar de ser uma rede bastante acolhedora, ela tem várias falhas. E o post de hoje é justamente pra conversar um pouco sobre isso.

E uma das primeiras coisas que me irrita no instagram são as panelinhas. Se a gente achava que isso só era possível na escola e nos filmes de adolescentes, a gente realmente quebrou a cara. Parece que quando eu vejo o stories eu sempre estou vendo os mesmos perfis sendo citados, as mesmas pessoas nos projetos… é uma panelinha enorme que excluem vários perfis legais e que sempre só se exaltam. E vamos ser sinceros que tem muita gente bosta ali dentro, mas ok.

Eu sinto que o próprio instagram percebe isso e acaba deixando a gente numa bolha, sempre recomendando os mesmos perfis na timeline. Vocês também tem essa sensação ou eu sou a louca aqui?

E os problemas na rede social não acabam. O bookstagram consegue ser tão tóxico que está chegando ao nível do twitter de tanta treta. Parece que todo dia eu vejo alguma polêmica se desenrolar, e são umas coisas tão… sei lá… coisas que não valem a pena o desgaste mental e emocional, mas SEMPRE tem um perfil que tá ali querendo lacrar encima dos outros, querendo se fazer ouvida… e aí chegamos também no terceiro motivo que me faz desgostar dessa comunidade: a famosa cultura do cancelamento.

Eu sei que existem pessoas simplesmente idiotas, machistas, homofóbicos, preconceituosos e etc, mas tem pessoas que não erram porque querem, mas porque não sabem se expressar, não tem conhecimento ou simplesmente tem uma visão diferente. Mas antes que a gente consiga educar e falar pra aquela pessoa que aquilo que ela está fazendo é errado, já tem uns 10 perfis que tão metendo o pau nela no stories. É como se ninguém pudesse errar! Ninguém pode dar mais a sua opinião. Todo mundo precisa ser politicamente correto, saber o que é certo, o que é válido. Eu não posso mais falar um A errado que já tem cinquenta pessoas me expondo e dizendo que eu sou a errada (não aconteceu comigo mas é um exemplo), e assim, isso é foda, porque tem TANTA gente que prega empatia todo dia no feed mas quando você vai conhecer melhor a pessoa, ela é um poço de escrotidão e arrogância. E sim, o lixamento virtual é uma coisa grotesca, que não ajuda ninguém.

E aí chegamos a mais um problema aqui: o preconceito literário. Em pleno 2021 e ainda tem gente que se acha melhor porque lê um gênero diferente do outro, ou que desmerece o coleguinha porque ele prefere ler livro com sexo do que um Guerra e Paz. E caramba, que bando de gente chata do caralho! Se as pessoas parassem de cuidar da vida alheia, eu tenho certeza que metade dos problemas do mundo seriam resolvidos. Deixa o povo ler o que quer!

Resumo do resumo, eu sinto que estamos tratando livros como pessoas e objetificando as pessoas. Desde quando um livro é mais importante que o ser humano? Parece bobagem isso que eu tô falando mas se você analisar melhor as redes sociais e os perfis que seguimos, é tipo um bando de gente doida endeusando livros e personagens e tratando seres humanos como lixo. Não faz o menor sentido pra mim! E sim, apesar deu passar 70% do meu tempo no instagram, é um lugar que me irrita, que acaba com minha saúde mental, que me faz muito mal. Eu sei que tem pessoas incríveis lá, mas tá se tornando tão difícil lutar com os algoritmos e ainda tem um bando de gente tóxica que meu Deus… nem vale a pena!

Enfim! Esse era só um desabafo que acabou virando um textão. Perdoem e orem por mim!

24 anos. Ama escrever e falar pelos cotovelos.
Posts criados 95

5 comentários em “Coisas que me irritam no bookstagram

  1. Oi, Mi! Tudo bom?
    Eu tô num ponto da vida que liguei o famoso f&$#-se pra muita coisa, porque MUITA coisa tá irritando nas redes sociais. O twitter ultimamente é o que mais me tira do sério, porque é cada picuinha por nada!
    Pego meus livros e meus personagens e me desligo do mundo, porque a gente só se estressa UHSAHUSAUHSAU forças pra você quando tiver que lidar com situações assim, e muita paciência. Mas as vezes o silêncio é uma benção (eu escolhi ele pra reagir a fãs inconvenientes da SJM e tem ajudado muito KKKK)

    Beijos, Nizz.
    http://www.queriaestarlendo.com.br

  2. Oi, Miriã!

    Admiro quem ainda consegue manter um bookstagram, porque eu simplesmente não consigo rs. Eu fui uma das pessoas que infelizmente errou na hora de escrever uma resenha, não fui cancelada, porque nunca fui grande, mas uma pessoa em especial (aquela que sempre fala de empatia) me esculachou de uma forma que me faz mal até hoje… Fico muito frustrada quando penso que em 2016, quando decidi criar um blog literário, as coisas eram bem mais tranquilas! Enfim, apesar de tudo, sei que existem pessoas maravilhosas lá e que lutam diariamente para continuar, mesmo em um local tão tóxico como é o Instagram!

    Beijos!

  3. Olá, Miriã.
    É por essas e outras que continuo com o blog hehe. No blog eu faço o que quero do jeito que quero e ninguém vem dar pitaco. Mas infelizmente hoje em dia parece que só o Instagram que importa. Tem até editoras que só fazem parcerias por lá. Mas já vi tanta coisa errada e me desculpe quem tem, mas não tem como escrever uma resenha descente por lá. É só a foto bonita que chama a atenção, o que no meu caso como leitora não me convence a comprar um livro.

    Prefácio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Procura algo? Digite aqui e clicle em enter para pesquisar. e ESC para sair

A moda presente nos romances de época Autores nacionais para conhecer Um clichê, um livro Conheça os contos de Blackout Review: Um amor desastroso