Triângulo amoroso… pra quê?

Título um pouquinho diferente, mas é sobre isso que vamos conversar: triângulos amorosos. Eu não sei se vocês sabem, mas romance em qualquer gênero literário virou praticamente uma obrigação dos autores. Todos arranjam um jeitinho de colocar um casal no meio da história, mesmo que eles não tenham nada a ver ou que a história nem peça. Por existir essa gama tão grande de casais, eu acabei criando aversão a triângulos amorosos. Pense numa coisa que eu simplesmente não gosto! Acho tudo meio batido demais e infelizmente, quanto mais lemos, mais vemos esses triângulos acontecendo.
Não quero ser chata mas neste post resolvi falar sobre minha indignação com essa de sempre colocar dois caras e uma garota. Por que não ser ao menos criativo e colocar duas garotas e um cara? Infelizmente, parece que a indústria da literatura pensa que só pode existir um caso e tem que ser desse jeitinho. Além disso, é quase, digo QUASE impossível você encontrar uma distopia que não tenha um triângulo. No mínimo, tem que ser entre uma mulher que praticamente consegue chamar atenção destes dois caras, mas não tendo nada realmente de especial. No outro caso, um desses homens é amigo da moça e o outro, um completo desconhecido. E quem ela escolhe? O tal cara que ela jamais viu e sabe que não pode confiar.

Eu tô tão de saco cheio do tema que toda vez que percebo que a história terá algo do tipo, eu tento no máximo evitá-la. É muito chato vermos nosso coração dividido entre dois potenciais candidatos. Ás vezes eu gosto tanto dos dois que o livro deveria se chamar Dona Flor e seus dois maridos. Se não bastasse isso, ainda temos que sofrer por um quando a protagonista resolve dar mole para o outro. Porém, apesar da minha grande indignação, há histórias que dão certo com triângulos como The Kiss of Deception, da autora Mary E. Pearson, já que a protagonista não somente precisa saber quem ela realmente ama, mas quem é quem, já que ambos são príncipe e assassino. No mais, acho que os autores (digo todos!), deveriam começar a apostar em um casal só, sem outra pessoa sobrando. Será que é tão difícil assim uma menina conseguir ficar só com um cara? Reflitam.
Espero que desculpem esse texto enorme dessa pobre moça que vos fala, mas há tempos quero soltar minha opinião sobre isso. Sei que há leitores que simplesmente amam um triângulo amoroso, mas no meu caso, me vejo cansada disso e de outros clichês que sempre acabamos vemos, não importam o gênero. 
Um beijo e abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 thoughts on “Triângulo amoroso… pra quê?

@blogcapitulotreze