É muito chato para um leitor desistir de determinada leitura, e pelo que já vi aqui na blogosfera, a maioria não gosta de fazer tal coisa, por isso insistem tanto em terminar um livro, mesmo que ele seja um tédio ou tenha personagens abomináveis. Já eu não tenho esse problema. A leitura está empacando? Não tenho problema nenhum em ler o próximo. Por isso vou falar de quatro livros que não necessariamente abandonei, mas comecei a leitura e até hoje não consegui terminar por vários motivos.
Há muitos anos eu li Fingido, o segundo volume de Perdendo-me. Mas como na época eu não sabia que se tratava de uma trilogia, li fora de ordem mesmo e adorei a história. Por isso fiquei louca para ler os outros volumes, o problema é que a mágica de Fingindo não funcionou com essa história. Achei tudo um tédio e não conseguia gostar do roteiro da história. 

VIRGINDADE.
Bliss Edwards vai se formar na faculdade e ainda tem a sua. Chateada por ser a única virgem da turma, ela decide que o único jeito de lidar com o problema é perdê-lo da maneira mais rápida e simples possível com uma noite de sexo casual.
Tudo se complica quando, usando a mais esfarrapada das desculpas, ela abandona um cara charmosíssimo em sua própria cama. Como se isso não fosse suficientemente embaraçoso, Bliss chega à faculdade para a primeira aula do último semestre e… adivinhe quem ela encontra?

Também já li a série Na companhia de assassinos da mesma autora que Entre o agora e o nunca, mas assim que comecei a leitura, eu achei tudo muito chato. Não consegui gostar dos personagens e nem da súbita amizade que eles fizeram. Achei tudo muito forçado e meio irreal, impossível de acontecer hoje em dia. O triste é que muita gente gostou dessa obra e eu ainda não sei porque. 

Camryn Bennett é uma jovem de 20 anos que desistiu do amor desde que Ian, seu namorado, morreu num acidente de carro há um ano. Sua melhor amiga, Natalie, é a única capaz de animá-la. Mas a relação entre as duas fica abalada quando o namorado de Nat revela à Camryn que está apaixonado por ela. Perdida, sem saber o que fazer, Camryn vai para rodoviária e pega o primeiro ônibus interestadual, sem se importar com o destino.
Com uma carteira, um celular e uma pequena bolsa com alguns itens indispensáveis, Camryn embarca para Idaho. Mas o que ela não esperava era conhecer Andrew Parrish, um jovem sedutor e misterioso, a caminho para visitar o pai, que está morrendo de câncer. Andrew se aproxima da companheira de viagem, primeiro para protegê-la, mas logo uma conexão irresistível se forma entre os dois.
Camryn tenta lutar contra o sentimento, já que jurou nunca mais se apaixonar desde a morte de Ian. Andrew também tenta resistir, motivado pelos próprios segredos. Narrado em capítulos que alternam as vozes de Andrew e Camryn, Entre O Agora e O Nunca é uma história de amor e sexo, na qual os personagens testam seus limites, exploram seus desejos e buscam o caminho que os levará à felicidade.

O mesmo aconteceu com Lick. Achei o casal muito nada a ver, sem contar que a protagonista era um saco, uó.

Uma noite de aventuras. Um casamento inusitado. E uma ardente história de amor…
No impulso de uma noite de diversão e bebedeira em Las Vegas, Evelyn Thomas casou-se com um desconhecido. No dia seguinte, porém, ela se deu conta de que aquilo fora um terrível engano. Então, decidiu manter este pequeno deslize em segredo.
O que Evelyn não sabia era que havia se tornado a esposa do cobiçado David Ferris, guitarrista da famosa banda de rock Stage Dive. Agora, ao retornar para sua casa em Portland, ela terá de enfrentar as perseguições de repórteres, fugir às loucuras das fãs do astro e ainda encarar sua família, que não demonstrou nenhum contentamento com o ímpeto matrimonial da jovem filha.
Será que Evelyn conseguirá resistir às delícias de David a fim de permanecer como “a garota certinha” ou decidirá embarcar nessa glamourosa aventura junto ao marido rockstar?

Esse livro ele tem um apelo diferente. Eu gostei muito da temática da história e de como a autora desenvolveu isso, tanto que cheguei até a metade dele, o problema é que eu nem lembro porque parei de ler. Simplesmente deixei para ler mais tarde e acabei nunca tendo vontade de voltar. Mas esse sim eu pretendo terminar.

Em mais uma excitante série, a renomada autora Lena Valenti aborda agora as nuances do universo BDSM. Amos e Masmorras é um dos mais recentes sucessos da autora e se tornou best-seller internacional. A agente Cleo Connelly, integrante do corpo de polícia em Nova Orleans, é uma mulher atraente e destemida, que não mede esforços e impulsos na resolução dos casos que assume. Certo dia, entretanto, ela é designada para investigar, junto ao FBI, uma lucrativa rede de tráfico humano. Para cumprir a missão, ela precisará se inserir em um contexto inusitado: visitar a cena BDSM do país e participar das práticas de sodomia e dominação instituídas no torneio Dragões e Masmorras DS. Agindo como agente infiltrada, Cleo terá de pesar os limites de sua própria luxúria nesta implacável caçada, considerando também a arrebatadora atração que sente por Lion Romano, seu parceiro no caso. Mas será que, no meio do caminho, ela vai gostar de ser submissa? Renda-se aos deleites desta intrigante e sensual narrativa!

Posts criados 1379

18 comentários em “4 leituras que não vingaram

  1. Oi, Mi

    Dos quatro eu li Perdendo-me e Entre o Agora e o Nunca. Gostei bastante de Perdendo-me, achei ágil apesar de clichêzento. Já Entre o Agora e o Nunca achei bem ruim, mas realmente muita gente gosta. O mesmo acontece com Belo Desastre, que é o pior livro do mundo e eu não entendo como pessoas com cérebro podem gostar dele! hahahahahah

    Beijo
    – Tami
    Blog Meu Epílogo | Instagram | Facebook

  2. Oie
    Eu tbm tentei ler Entre o agora e o nunca, ganhei o livro em sorteio, mas a leitura não engrenou, eu abandonei e até troquei o livro. Tbm não tenho problemas em abandonar livros enquanto que posso estar lendo algo bom.

    Beijinhos
    diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br

  3. Eu não li nenhum desses, só tinha ouvido falar de Entre o agora e o nunca, mas nunca me interessei pelo livro.
    Infelizmente, é muito difícil para mim parar uma leitura, em A última carta de amor, eu não gostava, a leitura não fluía, mas insisti até terminar, mas demorou muito. Acho que o único que eu verdadeiramente desisti foi Crepúsculo.
    É chato quando uma leitura não flui, mas fazer o que, né? Só resta torcer para o próximo ser bom.
    Magia é Sonhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Procura algo? Digite aqui e clicle em enter para pesquisar. e ESC para sair

5 livros para ler ainda em 2021 8 livros para ler no Halloween 6 livros para ler durante a infância Conhecendo termos literários Como limpar seus livros e a sua estante?