Agora e sempre – Judith McNaught | Resenha

Autora de mais de quinze best-sellers, Judith McNaught constrói histórias cativantes de esperança e amor, como Agora e sempre. Em 1815, a americana Victoria Seaton perde os pais em um trágico acidente. Ela e a irmã Dorothy ficam desamparadas até descobrirem que a mãe pertencera à aristocracia inglesa. As irmãs são forçadas a partir para a Inglaterra e se hospedarem na casa de parentes desconhecidos. Victoria surpreende-se com seu primo distante, o lorde Jason Fielding, disputado pelas mais belas mulheres da alta sociedade. Confusa pela arrogância de Jason, mas atraída por seu forte poder de sedução, ela percebe o primo é assombrado por um passado doloroso.

Romance, ficção | 415 páginas | Editora Bestbolso | Nota: 

Em 1815, Victoria Seaton e sua irmã Dorothy perderam seus pais em um trágico acidente de carruagem. Sem herança para conseguirem se sustentar, as meninas acabam descobrindo que sua mãe, Katherine Seaton, é bisneta da duquesa de Claremont. Porém, a duquesa exige que somente Dorothy fique em sua casa, já que Victoria com seus cabelos ruivos, olhos límpidos e azuis e uma coragem marcante lhe lembra muito a neta, que acabou rompendo com a avó antes de fugir com o pai das meninas para a América. 
Foto por Leitora Encantada
O duque de Atherton, um antigo amor de Katherine, acaba ficando com a responsabilidade de cuidar da filha de sua amada. Mas o que poderia se tornar um inconveniente se mostra maravilhoso aos olhos do velho, já que este deseja um herdeiro, e fará de tudo para que Jason Fielding, seu filho ilegítimo case-se com a moça. 
Foto por Leitora Encantada
O problema é que Jason já foi casado e aprendeu da pior maneira o que uma mulher pode fazer quando quer algo dele. Amargo com o passar dos anos desde que perdeu seu único filho em um naufrágio, ele fica furioso ao saber que seu pai anunciou em um jornal seu noivado. Disposto a mandar Victoria embora de sua casa, ele a trata rudemente mas a moça não se assusta facilmente e acaba desafiando-o, o que nenhuma mulher e nem mesmo os criados de Jason jamais fizeram. 

É daí que nasce uma chama entre eles, porém Victoria está certa que Andrew Bainbridge, seu melhor amigo e único amor, chegará a Londres para casar-se com ela. Mas nem mesmo o duque de Atherton pretende que seu plano falhe por causa de um amor do passado.

MINHA OPINIÃO

Sendo meu primeiro contato com a autora Judith McNaught, famosa por seus livros de banca, eu fiquei muito receosa que sua história não fosse me agradar. Felizmente, não somente agradou como meu coração sentiu-se aquecido pela narrativa apaixonante que a autora traz em seus livros.Com seus personagens cativantes e muito carismáticos, a autora conseguiu desenvolver um romance de época muito gostoso de ler. 
Victoria é uma personagem meiga, engraçada e de uma beleza incomparável e muito além do seu tempo. Além de saber costurar e cozinhar, ela sabe pescar, nadar, atirar, tocar piano e se comportar como uma verdadeira dama. Ou seja, a mulher é foda! Seu jeito gentil e carismático é o que faz com que ela encante não somente todos a sua volta mas o leitor também, porque uma personagem tão fofa assim é impossível não gostar. Já Jason é um bruto, arrogante e muito mal-educado, mas claro que tudo isso tem um porquê, mas até que Victoria descubra o que é, ela vai levar mais coice que cuidador de cavalo.
Foto por Leitora Encantada
O que eu mais achei engraçado nesta história foram as incontáveis interpretações errôneas que o Jason tinha da Victoria sobre alguma coisa que ela dizia. Ele sempre levava suas afirmações ao pé da letra, e tinha a impressão errada do que a moça queria realmente dizer. Isso deu uma confusão danada ao longo da história, o que me deixou com os cabelos em pé e ao mesmo tempo, segurando as gargalhadas.
É possível notar que os dois personagens a primeiro princípio irão se odiar. Jason com seu jeitão mal-educado irá fazer de tudo para mostrar que Victoria é indesejada em sua casa, mas como a mocinha não leva desaforo sozinha, ela vai peitar ele de cabeça erguida. O legal é que Victoria vem de Nova York morar em Londres, então há alguns ditames da sociedade que Victoria simplesmente não consegue entender, como não poder morar com dois homens solteiros sem uma acompanhante.
Foto por Leitora Encantada
Uma coisa também admirável na história é a relação de Victoria com os pais, que geralmente em histórias do gênero nunca é boa. Eu adorei ver o quanto ela sentia orgulho deles, mesmo seu pai sendo um simples médico. Sem contar que ele dá grandes lições as suas filhas, assim como a mãe, Katherine, que se preocupa muito com elas.

Amar alguém que não nos ama é como viver no inferno! Nunca deixe alguém convencê-la de que poderá ser feliz ao lado de um homem que não a ama.

A escrita da Judith é bem leve e as páginas correm soltas, terminei a leitura em poucas horas e adorando cada segundo que passei conhecendo os personagens. Senti somente falta da presença de Dorothy, e pelo que vi a autora não reservou nenhum livro para contar a história da personagem em busca do seu final feliz, o que é uma pena. Mesmo assim, adorei esse romance de bolso, com certeza vou indicar a todos os amantes do gênero.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 thoughts on “Agora e sempre – Judith McNaught | Resenha

@blogcapitulotreze