Anita Bonucci não conhece limites. Não tem papas na língua, não gosta de seguir regras e não joga para perder… até Luigi DeRossi entrar na jogada.
Luigi nunca teve problemas em conseguir o que queria, principalmente em se tratando de sexo. Dono de um incrível sorriso-sarcástico-encharca-calcinha e a fama de levar qualquer mulher ao céu, o Consigliere não esperava nutrir uma obsessão pela garota de pior reputação de toda a máfia italiana.
Ela não vai se render.
Ele não vai desistir.
Uma noite, uma chantagem. E apenas um dos dois pode vencer.

Anita é a irmã rebelde da família Bonucci. Enquanto Alessa exala graça e classe e Abriela é gentil e com um coração bom, ela é ousada e desbocada. E não é à toa que sua personalidade chamaria tanta atenção assim, incluindo a de Luigi DeRossi.

Luigi, irmão de Lucca e o segundo no comando da Famiglia é um homem intenso e desapegado. Ele coleciona casinhos por onde passa e assim que Anita cai em sua lábia, ela se torna mais uma em sua coleção. Mas tudo isso esconde o verdadeiro desejo do rapaz, que é Abriela, esposa do seu irmão.

Se perdendo no corpo de Anita, ambos vivem vários momentos loucos e cheios de adrenalina encima da cama. Mas ao perceber que Luigi não se importa com ela como gostaria, Anita resolve seguir em frente e conhecer outras pessoas, e é aí que Alessio, um advogado charmoso, surge em sua vida.

O relacionamento deles evolui rapidamente, mas Anita não contava com Luigi, reivindicando seu corpo e desejando casar-se com ela.

Sem alternativas após seu pai descobrir sua desonra ao perder a virgindade, Anita é obrigada a casar com Luigi, mas jurou fazer desse casamento um inferno. E entre tantos tapas e beijos, o inferno é exatamente o que espera esses dois.

Alerta gatilho: o livro é um romance dark e possui cenas que podem desencadear gatilhos emocionais.

O monstro rendido é o segundo da trilogia No berço da máfia e meu segundo contato com a escrita da Nana. Eu vi muitas polêmicas a respeito do primeiro livro e por isso, já sabendo o que esperar, decidi não ler e começar pelo segundo mesmo, e apesar de ter ficado perdida em algumas cenas iniciais, consegui absorver toda a história.

Esse é aquele tipo de livro que você consegue sentir toda a intensidade dos personagens na primeira página. Anita é um espírito livre, uma mulher decidida e disposta a tudo para conseguir o que quer, mas que infelizmente não tem o que tanto deseja: liberdade.

Eu gostei muito da Anita. Achei que ela fosse me irritar um pouco como a Gianna de Born in Blood, mas em nenhum momento a personagem conseguiu me tirar do sério. Eu entendi seus dramas, seus desejos e tudo o que ela passou nas mãos de Luigi, e a cada página gostava mais ainda da ferocidade que ela tinha.

Já Luigi conseguiu me irritar em vários momentos. Ele é até um pouco mais sensível que Lucca, seu irmão mais velho, mas ainda achei-o um babaca boa parte do tempo, ainda mais quando pagava de bon vivant sem se importar com os sentimentos de Anita, ou qualquer outra mulher que aparecesse em seu caminho. Maaaas, diferente de alguns personagens do gênero, você consegue gostar dele apesar de tudo.

O relacionamento deles é muito agressivo e intenso. Pautado em sexo, eles são brutais na cama, brigam o tempo inteiro, mas no fundo escondem seus sentimentos um pelo outro. E foi legal ver todo o desenrolar desse amor, ainda mais porque não é de longe algo instantâneo. A história vai sendo narrada e as coisas vão acontecendo ciclicamente, e a autora não atropela em nada o rumo dos acontecimentos.

Tem um plot específico que é bem pesado. Eu já havia lido outro livro da Nana e me senti desconfortável com outra cena parecida, e aqui acho que conseguiu ser ainda pior. É tão gráfico e doloroso, que é impossível não sentir em você o que está acontecendo. Mas faz parte da temática e eu entendo tudo o que a autora quis construir ao trazer essa cena, o que compôs mais ainda o desenvolvimento dos personagens.

A narrativa da autora é bem gostosa e te prende completamente. Eu terminei o livro em poucos dias e amei tudo o que ela escreveu. Recomendo para quem ama o gênero e quer se arriscar.

No berço da máfia #2 | 446 páginas | Editora Qualis | Livro cedido em parceria com a editora

24 anos. Ama escrever e falar pelos cotovelos.
Posts criados 81

5 comentários em “O monstro rendido – Nana Simons | Resenha

  1. Oi Mi,
    Você sabe que adoro um romance dark e já tinha ouvido falar na Nana Simons, mas nunca li nada dela.
    Tenho medo dessa questão de ‘relacionamento agressivo’, talvez isso me atrapalhe, mas vou dar uma chance porque tudo depende de como a autora nos passa isso, né?
    Vou colocar na lista aqui e te conto o que achei quando o ler!
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

  2. Olá, Miriã.
    Eu não sou muito fã de livros de máfia, mas fiquei interessada nesse e já até coloquei o primeiro livro no meu KU porque sou dessas que não consegue ler série fora de ordem se eu saber que é série antes de ler hehe. Não lembro de já ter lido algo da autora.

    Prefácio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Procura algo? Digite aqui e clicle em enter para pesquisar. e ESC para sair

Como limpar seus livros e a sua estante? 5 formas de ler e-books 5 livros com CEO que não são babacas 8 livros para chorar 5 lugares para ler