Jogadores de futebol arrogantes, rivalidade escolar e garotas que aparecem em seu caminho. Prepare-se… Os Raiders estão de volta!

Felicity Giles tem uma lista.

Perder a virgindade.

Ter o melhor último ano que uma garota pode querer.

O único problema? Seu príncipe não é santo, é um vilão, e ela tem certeza de que ele vai destrui-la antes mesmo que lhe dê um pedaço de seu coração.

Jason Ford tem um plano.

Ganhar o estadual e se tornar um dos quarterbacks de maior sucesso da história de Rixon Raider.

Ir para a faculdade e correr atrás de seu sonho de ser convocado para a NFL.

Evitar a garota que o deixa à flor da pele. Felicity Giles, a melhor amiga de sua meia-irmã e um pé no saco.

Ela é irritante pra caramba.

Peculiar.

A garota é só um jogo para ele, nada mais.

Até que seu arquirrival parte para o ataque, usando as poucas pessoas com quem ele se preocupa… e Felicity é pega no fogo cruzado.

E de repente, odiá-la se parece muito com se apaixonar!

O problema com você foi um dos melhores livros que li no primeiro semestre, e terminou de um jeito que me deixou louca pela continuação. Graças a Deus ela enfim veio e tive o prazer de conseguir uma prova antecipada antes do lançamento oficial na segunda.

Jason Ford é o quarterback do time de futebol da escola e é venerado como um rei na pequena cidade de Rixon por causa disso. Tendo tudo aos seus pés, ele só se dedica ao futebol e não aceita ser distraído do seu objetivo final: conquistar o campeonato e jogar nos playoffs. Mas agora que sua meia-irmã Hailee está namorando seu melhor amigo e wade receiver do time, Cameron, ele agora tem a constante presença da melhor amiga dela, Felicity Giles, em sua vida.

Felicity é uma garota certinha mas tem uma lista. Uma lista com vários itens que ela quer experimentar antes de ir para a faculdade e seguir os passos de seus pais. Um deles é perder a virgindade… mas ela jamais imaginou que acabaria fazendo isso justo com Jason Ford. O garoto mais popular da escola e também o único que tem o poder de quebrar seu coração completamente.

É tão fácil se odiarem, o difícil é admitir que se desejam… Tudo para Jason é um jogo, mas será que Felicity está disposta a jogar?

O amor está em jogo é tão intenso quanto o primeiro livro, e dessa vez temos Jason, nosso quarterback menos favorito como personagem principal dessa história. É engraçado odiar ele ao mesmo tempo que passamos a gostar, já que no primeiro livro ele é simplesmente detestável. Jason sofre com o peso excessivo da pressão que todos na cidade, incluindo seu pai, treinador e amigos, colocam nele por causa do futebol. Sendo filho de Kent Ford, espera-se que seu filho sempre seja o melhor, e para não desviar desse caminho, ele passa por cima de tudo e todos, mesmo que tenha que ferir os outros no processo.

Jason pode ser um babaca a maior parte do tempo e nada justifica suas ações em boa parte do livro, mas você acaba o entendendo mesmo assim. Só que na maioria das vezes queria bater nele e mandar ele crescer porque suas atitudes com relação a Felicity eram péssimas. Sério, o que ela passa nas mãos dele é bem difícil de engolir, mas é notável o quanto ele vai cedendo aos seus sentimentos e se deixando ser vulnerável. Demora? Sim! Mas acontece, e é ótimo ver ele enfim rendido por tudo aquilo que mais odeia.

Felicity pode parecer simples mas ela tem muita personalidade, e o fato dela não abaixar a cabeça para Jason é o que chama atenção dele para ela. É claro que às vezes ela cede porque desde o primeiro momento ela diz estar apaixonada por ele, mas é a sua resiliência que chama atenção na história, porque caramba, a menina tem pulso firme pra aguentar tanta merda vindo dele.

Os dois são bastante intensos e deixam claro que se detestam, mas é só estar perto um do outro que as faíscas acendem e a tensão sexual passa a transbordar. Infelizmente vão passar por muito percalços se quiserem ficar juntos, incluindo as constantes ameaças de Thatcher, o inimigo número um de Jason.

Eu adorei essa história e foi uma leitura bastante envolvente, que por um segundo me fez esquecer a ressaca literária que estou no momento. Mas eu ainda senti falta de algumas respostas. Quando li o primeiro livro, já sentia uma tensão entre Jason e Felicity, mas achei que nesse livro a gente conseguiria entender bem o que aconteceu entre eles durante esse meio tempo, só que a história já começa de onde terminou o primeiro livro, então não conseguimos ver direito como foi que esses dois se aproximaram tanto ao ponto de transarem.

Outra coisa que me incomodou é que quase não mostra a relação do Jason com o pai e a madrasta. Existe muito ressentimento entre eles, mas não houve embate e muito menos resolução, e não sei se isso irá acontecer nos outros livros da série já que o próximo irá focar em Asher, um outro jogador de futebol. Fora isso, é um livro gostoso, bem do jeito que a gente ama um new adult. Recomendo muito as obras da autora!

Rixon Raiders #2 | 345 páginas | Publicação Independente

24 anos. Ama escrever e falar pelos cotovelos.
Posts criados 98

4 comentários em “O amor está em jogo – L. A. Cotton | Resenha

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Procura algo? Digite aqui e clicle em enter para pesquisar. e ESC para sair

A moda presente nos romances de época Autores nacionais para conhecer Um clichê, um livro Conheça os contos de Blackout Review: Um amor desastroso