Determinada a levar o mesmo estilo de vida do assassino que a libertou do cativeiro, Sarai resolve sair sozinha em missão, com o propósito de matar o sádico e corrupto empresário Arthur Hamburg. No entanto, sem habilidades nem treinamento, os acontecimentos passam muito longe de sair como o planejado. Em perigo, Sarai nem acredita quando Victor Faust aparece para salvá-la — de novo. Apesar de irritado pelas atitudes inconsequentes dela, ele logo percebe que a garota não vai desistir de seus objetivos. Então, não há outra opção para ele a não ser treiná-la. Com tamanha proximidade, para eles é impossível resistir à atração explosiva. Nem Victor nem Sarai podem disfarçar o que sentem, ou negar o desejo que os une. No entanto, depois de tantos anos de sofrimento e tantas cicatrizes emocionais, será que eles conseguirão lidar com um sentimento como amor? Só que Sarai — novamente na pele de Izabel Seyfried — ainda terá que passar por um último teste; um teste para provar se conseguirá viver ao lado de Victor, mas que, ao mesmo tempo, poderá fazê-la questionar os próprios sentimentos e tudo que sabe sobre esse homem.

Crime, suspense, romance | 232 páginas | Editora Suma de Letras | Este livro pode conter spoiler do primeiro volume da série 

Acho que vocês perceberam o quanto eu amei o primeiro livro da série Na Companhia de Assassinos, quem ainda não leu a resenha, você pode encontrá-la aqui. O segundo volume com certeza é mais recheado de cenas agoniantes e eletrizantes, sem contar que há um plot twist tão grande que o leitor fica de cara passada, ao menos eu fiquei. Infelizmente é impossível falar sobre esse livro sem acabar revelando acontecimentos do livro anterior, então atente-se a isso, e se você não quer encontrar spoiler, sugiro que pare de ler agora.

Primeiramente, vamos relembrar um pouco o que aconteceu no livro anterior. Sarai enfim conseguiu fugir da “fortaleza” de um dos chefes do narcotráfico onde acabou passando nove anos de sua vida. Ela não teria conseguido sem a ajuda de Victor Faust, um assassino que trabalha para a Ordem, uma das maiores agências secretas do mundo. Após ter sofrido perseguições por estar com Victor e acabar matando Javier, o homem que a manteve presa durante esses anos, Sarai percebe que essa não será sua primeira morte. Agora ela quer vingança e quer que Victor a ajude treinando-a, coisa que ele se recusa.

“… Não é só trabalho Sarai. As pessoas em geral não são confiáveis, especialmente na minha profissão, na qual confiança é tão rara que não vale a pena perder tempo e esforço procurando por ela.”

Ele então resolve levá-la em uma última missão e assim eles conhecem o bilionário Arthur Hamburg, um homem perverso que usa suas fantasias sexuais para matar pessoas inocentes. Depois de terem matado a esposa dele, Victor deixa Sarai para que ela tente reconstruir sua própria vida. Ela até tenta. Volta a morar com uma antiga vizinha, faz amigos e até mesmo arranja um namorado, mas ela não consegue tirar Victor da cabeça.
Aos poucos, Sarai começa a bolar um plano para matar Arthur, fazê-lo pagar por todas as mortes que ele foi o responsável, mas seu plano inteiro dá incrivelmente errado e ela acaba sendo perseguida, além de seus amigos terem acabado sido mortos por isso. Victor então retorna a vida de Sarai depois de saber da grande confusão que ela armou, e resolve então treiná-la para que ela consiga a tal vingança que deseja. Mas nem tudo será fácil e há muito mais perigo em volta dos dois, além de seus próprios sentimentos. 
MINHA OPINIÃO
Que livro maravilhoso! Gente, se vocês soubessem o misto de sensações que sofri ao ler esse livro, vocês iriam correndo lê-lo. Com certeza essa obra foi bem mais explorada e melhor trabalhada do que o primeiro volume, já que em A morte de Sarai foi um livro mais introdutório, agora iremos cair de cabeça na trama recheada de reviravoltas e muito sangue. 
Sarai é um mocinha que deixou de ser mocinha. Não entenderam? Eu explico. Depois de ter sofrido durante anos vivendo em condições precárias e abusos psicológicos e físicos, ela enfim está livre, mas nem mesmo toda a terapia do mundo poderia apagar todo o horror que ela viveu. Assim que matou Javier, Sarai está disposta a matar todos que ela acha que merecem, e por isso fará de tudo para se aperfeiçoar e melhorar. Então ela vai apanhar bastante ainda, mas aos poucos mostrará que consegue ser tão fria quanto o pior dos assassinos. 
Esse livro me faz pensar o quanto as pessoas podem ser cruéis e infelizmente moldadas pelas circunstâncias da vida, a negligência de um membro da família ou até mesmo a maldade humana. Mas isso já é desabafo para outra hora…
Foto por Em cada Página
Os primeiros capítulos do livro vamos vendo como a Sarai se sai nesse novo recomeço, mas de cara notamos que ela não sabe lidar bem com algumas coisas que para nós seria normal. E quando ela tenta colocar em ação esse plano tão arriscado, ela percebe que precisa aprender muito, já que se não fosse por Victor e sua influência, ela poderia estar morta. Nem preciso falar o quanto eu amo Victor! Ele tem um jeito tão de homem mau e ao mesmo tempo tão preocupado com Sarai que é impossível não se apaixonar por ele.
Esse tempo longe dele só fez florescer cada vez mais os sentimentos que ambos nutrem um pelo outro, e o mais legal e surpreendente aqui é que em nenhum momento você vê a frase “Eu te amo”. Acho que foi a primeira vez que li um livro onde existe um casal que se ama, mas que não demonstram isso, o que é diferente mas muito mais interessante. Como eu falei antes, esse volume está bem mais eletrizante, então prepare-se para várias cenas de ação, tortura, interrogatório e inclusive conheceremos Frederick, protagonista do terceiro volume. 
O final foi de arrasar! Eu fiquei com o coração na mão achando que fosse acontecer uma coisa e BUM!, não era nada disso. Gente, que final foi esse. Simplesmente maravilhoso! Nem preciso contar que o terceiro livro também promete muito. Então se você ainda não ficou convencido com a primeira resenha de ler a série, espero que esta enfim faça você tomar a decisão de lê-la porque ela é fenomenal! 
Posts criados 1379

16 comentários em “[Resenha] O retorno de Izabel – J. A. Redmerski

  1. Oi, Teca. Eu sou apaixonada por spoiler, geralmente só leio um livro quando sei que não vou me decepcionar, mas se você quer realmente se surpreender com a série, tem que ter essa experiência sozinha, sem nenhum spoiler para desfrutar de tudo completamente. Espero que goste!

  2. Sim, Miriã, a gente percebeu que você amou! Hahahaha
    Olha,eu tô ficando com vontadezinha de ler, de verdade. Adoro plot twists e esse negócio de cenas agoniantes muito me agrada, pq sou dessaa que gosta de coisas que deixam a gente incomodado! Hahahaha
    Que bom que você está tendo boas experiências com as leituras!

    Beijo
    – Tami
    http://www.meuepilogo.com

  3. Oi, Tamires. O legal dessa série é que ela é feita de tensão, então raramente você verá um momento muito "fofo", no máximo excitante, mas é muito voltado para a ação, o que eu gostei muito, pois é bem diferente do que estou acostumada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Procura algo? Digite aqui e clicle em enter para pesquisar. e ESC para sair

5 motivos para ler Bone Crier’s Moon 5 autoras de romance de época para conhecer Compre agora o novo Kindle Paperwhite! Músicas para quem ama o universo de League of Legends Spoiler: 3º ato de Arcane