Esses dias comentei com vocês sobre as piores protagonistas de livros que eu tive o desprazer de conhecer, mas como nem tudo que não reluz é lixo, eu resolvi falar sobre aquelas personagens que eu achei que fosse detestar mas acabei gostando de alguma forma.

Pietra – 8 Segundos

Nesta história de peão, foi muito fácil imaginar que Pietra fosse acabar me irritando. A protagonista é filha de um rico fazedeiro, portanto é completamente mimada, patricinha, não sabe levar não e faz tudo o que quiser sem se importar com as consequências. Logo, eu achei que fosse acabar detestando-a de todas as formas, só que não é que a danada acabou me conquistando? A Camila consegue fazer com que sua personagem, apesar de ter uma personalidade insuportável, acabe ganhando nosso coração. Pietra é tipo aquela amiga que você sabe que tem várias manias irritantes mas não consegue se afastar. Eu gostei muito dela e até torci pra ela conseguir aprender alguma lição nessa história e a autora não decepciona.

Donatella – Caraval

Donatella foi uma personagem muito difícil de engolir. Ela é irmã mais nova da protagonista Scarlet de Caraval e é totalmente inconsequente, faz o que der na telha sem se importar com sua irmã, e é egoísta de todas as formas. Desde o início da narrativa eu queria arrastar a cara dela no asfalto porque não conseguia acreditar no tanto que essa personagem era idiota, até que vem o final do livro e BUM!, me dá um tapa na cara me deixando ver que Donatella é muito mais que isso. Eu quebrei a cara com ela e paguei a língua. Agora quero muito ler o segundo livro da série que contará sua história e não vejo a hora de matar a saudade (eu me fazendo de desentendida aqui).

Daisy – Daisy está na cidade

Amo os livros da Rachel Gibson mas eu achei que não fosse gostar nem um pouco da Daisy, a personagem principal dessa história. Isso porque ela ***ALERTA SPOILER*** escondeu do namorado de adolescência Jackson que havia engravidado dele só por causa de um desentendimento do passado, e ainda por cima ela acabou casando com o melhor amigo dele, o Steve. Eu detesto personagens que escondem gravidez, acho que isso é porque eu provavelmente não faria isso, acho que o pai, no mínimo, deveria saber de tal coisa e somente depois de 10 anos que ela resolve voltar pra contar. É claro que eu revirei os olhos pra ela, mas com a leitura a gente vai descobrindo mais sobre a personagem e entendendo suas razões. Eu não concordo, mas entendo e no fim acabei gostando dela e torcendo pra que tudo desse certo.

Hannah – Encrenca

Eu confesso que não sou lá muito empática com situações que poderiam ser evitadas. E isso foi um motivo pra eu ter desgostado em boa parte da leitura da Hannah, protagonista de Encrenca. Ela tem 15 anos e acabou engravidando, e o mistério da obra é descobrir quem é o pai enquanto ela lida com a situação. Como falei, a Hannah é uma personagem difícil de gostar, isso porque ela na maioria do tempo só pensa em sexo (até descobrir estar grávida), se tratar como uma qualquer (juro, ela agia de tal forma que eu achava que ela não tinha amor próprio) e também esconder quem era o pai em 80% da narrativa (o que me deixou chocada quando descobri quem era, outro fato pra tê-la detestado porque só consigo pensar o quanto a Hannah era burra). Além disso, ela praticamente traz pra equação o Aaron Tayler que não tem nada a ver com ela e seu problema, e cara, ele passa muito barra quando resolve assumir a paternidade do bebê. Mesmo assim, lá pros 45 min do 2º tempo, eu consegui gostar da protagonista. Não foi fácil porque ela precisou aprender muita coisa, mas vê-la crescendo deixou uma boa parte do meu ranço pra trás.

Liz – Quando tudo faz sentido

Liz foi uma incógnita pra mim em boa parte da leitura e eu fiquei muito tempo sem saber se gostava dela ou não. A todo momento sabemos que ela não é uma pessoa boa. Ela é cruel com os colegas de escola, trai as amigas que se importam com ela, pratica bullying com quem não consegue se defender. Mas o mais notável é que ela não se sente bem com isso. A Liz sabe que é uma pessoa ruim e por isso resolve dar um fim a própria vida, simulando um acidente de carro. O livro todo é narrado pela amiga imaginária dela e conhecemos Liz de uma forma muito profunda. E eu ficava o tempo todo sem saber se queria que ela sobrevivesse ou não, pra vocês verem o quanto ela mexeu comigo KKK Mas no fim eu acabei entendendo-a e torcendo muito pra ela conseguir encontrar seu caminho porque apesar de tudo, a Liz era só uma garota que acabou se perdendo de alguma forma.
É isso meus amores! Espero que tenham gostado e se quiserem compartilhar com a gente os personagens que acabaram gostando mesmo com todas as probabilidades, eu vou adorar.
Posts criados 1379

37 comentários em “Personagens que eu achei que fosse odiar mas acabei gostando

  1. Olá, Miriã.
    Dos livros que você citou eu li dois. A Donatella me deu muito nos nervos. Queria socar a cara dela umas horas hehe. Já a Hannah eu gostei desde o inicio. Li o livro em um dia na verdade porque devorei ele hehe.

    Prefácio

  2. Já ouvi muito falar da Donatella de Caraval, dizem que ela é uma personagem muito contraditória, você não sabe se ama ou se odeia, kkk. Sobre Daisy Está na Cidade, detesto quem esconde a gravidez até em novelas, mas mesmo com as novelas a gente sempre começa detestando certo personagem e amando o mesmo no final. Com relação a livros é difícil eu passar por esse período de aceitação de personagem, quando eu pego ranço, geralmente ele dura até o desfecho do livro, haha.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta
    [SORTEIO NO INSTA]

  3. Hey Miriã! Tudo bom?
    Não conhecia nenhum dos personagens, quem dirá os livros kkk
    Mas acho que no meu caso se aplicaria o Rhysand que eu achei que fosse odiar mas acabei amando. Ele é da série Corte de Espinhos e Rosas, conhece?
    Espero que dê uma passadinha no meu cantinho também!
    Um abraço,
    ~ miiistoquente

  4. Oi, Mi! Tudo bom?
    Eu curti muito a Donatella, apesar de ter achado o desenvolvimento dela meio fraquinho. Acho que é coisa que a autora vai trabalhar bem mais em Legendary, pelo que eu vi de comentários.
    Tem tanto personagem que eu começo a ler pensando 'meu deus vou te odiar' e termino 'MEU DEUS CASA COMIGO'. Adorei o post!

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    http://www.queriaestarlendo.com.br

  5. Oi, Leslie
    Menina, a maioria odiou a Donatella mas no fim acabou amando, tipo eu. Daisy me irritou por causa do segredo mas desde o início o leitor vai se familiarizando com ela e curtindo a personagem.

  6. Oi Mika!

    Ah, e isso acontece muito, né!
    Eu começo a leitura não suportando algum personagem e termino adorando. Os autores são mestres em mexer com a nossa empatia, hahahaha!

    Não li os livros citados, então desconheço os personagens, mas posso citar dois livros e personagens que não gostei no início, mas terminei me apegando: A Noiva do Capitão (Capitão Logan Mackenzie) e Os Criadores de Coincidências (Eric).

    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

  7. Mi, sua linda!

    Amei a carinha nova do blog. Amo balões e esses tons de cores, estou encantado com o Suddenly.

    Sobre os personagens, concordo com você com a personagem de Caraval e de Encrenca. Elas realmente me deram trabalho para engolir, mas ambas no final de tudo acabaram ganhando um pouco da minha simpatia. Dos outros livros eu não conheço.

    Bjão,
    Di ~ Vida & Letras
    http://www.vidaeletras.com.br

  8. Não vou dizer que gostei, mas achei que iria odiar o personagem Holden de O apanhador no campo de centeio por ser bastante irritante, mas acabei entendendo ele =D
    Acho que é a experiência mais próxima que tive XD

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Procura algo? Digite aqui e clicle em enter para pesquisar. e ESC para sair

Compre agora o novo Kindle Paperwhite! Músicas para quem ama o universo de League of Legends Spoiler: 3º ato de Arcane Músicas com representatividade LGBTQ+ Bully Romance: o que é + indicações