Layla…Teve uma vida difícil. Por conta própria bem jovem, sempre fez o que precisava ser feito para sobreviver. Agora tem duas pessoas que dependem dela e precisa urgente de um trabalho antes que fossem despejadas. Uma entrevista de emprego a apresenta para Jesse Thornton, o delicioso baterista da Demon’s Wings. Ele a faz lembrar de todos os erros de seu passado, mas também é sua esperança para o futuro.Jesse…Nunca permitiu que ninguém se aproximasse demais. A verdadeira família que ele sempre teve eram seus irmãos da banda e Emmie – a única mulher que já amou. Mas, então, Layla entrou em sua vida e ele faria qualquer coisa para conseguir provar o sabor dela. Ele conseguirá superar suas próprias inseguranças e permitir que esta mulher entre seu coração?

Erótico | 300 páginas | Editora Bezz 

Após terem descoberto que Emmie está grávida de Nik, a banda Demon’s Wings resolve parar por um tempo a rotina de shows e comprar uma casa para que a gravidez da garota seja o mais calma possível. Tendo que arrumar sozinha toda à bagunça dos quatros integrantes da banda, Em resolve contratar uma nova empregada.
Layla sempre teve que se virar sozinha desde os dezesseis anos. Após a morte da mãe, ela acabou ficando com a guarda das duas irmãs menores, Lana que vai completar dezoito anos e Lucy, uma garotinha de seis. Após livrar Em de uma situação constrangedora na entrevista de emprego, ela consegue o cargo de empregada e se muda para a casa de hóspede ao lado com suas irmãs, já que trabalharia por tempo integral.
Layla sabe que não se deve confiar em roqueiros. Sua mãe fora uma groupie e ela e suas irmãs nasceram disso. Mas ela não estava preparada para ficar cara a cara com Jesse, o irresistível baterista da banda. Agora Jesse está completamente encantado com a nova empregada e tudo o que ele quer, ele consegue. 
O coração do roqueiro é o segundo livro da série The Rocker e vai contar a história do baterista Jesse como podem perceber. Jesse sempre foi o mais protetor em relação à Emmie, quase como um pai para ela, enquanto Nik sempre a amou como homem. Quando descobrem que a sua pequena e doce Em está grávida, eles sabem que precisam mudar para a chegada do bebê. Mas mesmo com um novo integrante da vida deles a caminho, a loucura de ser um rock star não sai dessa família louca. Só digo: coitada da Em.
Layla é uma mulher forte, que teve que descobrir sozinha como se virar, até porque foi expulsa de casa muito cedo. Agora ela foca em ajudar suas irmãs a se formarem e darem a elas um futuro que nunca teve. O emprego na casa dos Demon’s Wings era tudo o que Layla poderia imaginar, e de quebra ela ainda conseguiu uma nova amiga, Em. Só não imaginava que sentiria tanta atração por Jesse.
Eu achei que Layla seria basicamente uma substituta para Em, e que Jesse a protegeria como faz com a outra, mas fiquei bastante feliz ao encontrar uma mulher destemida, ousada, que consegue se cuidar sem ajuda de ninguém, ainda que Jesse consiga ser protetor. É um contraste que eu gostaria muito de ver e que a autora conseguiu entregar. 
Em relação ao primeiro livro que foi um pouco decepcionante quanto ao desenvolvimento, O coração do roqueiro consegue mostrar claramente a evolução da escrita da autora, isso foi refrescante porque agora temos uma narrativa mais coesa e interessante, mas confesso que em boa parte da trama eu ainda tentava entender para onde ela iria. Sabe quando o enredo não mostra nenhuma surpresa, nada diferente e você não sabe o propósito da história? Infelizmente O coração do roqueiro foi assim em boa parte da leitura, mas graças ao bom Deus, a escrita conseguiu engrenar nos finalmente. 
Eu achei o desenvolvimento do casal muito rápido. Há uma troca de olhares, certa tensão sexual e quando eles ficam juntos, já rola declarações de amor e etc. É meio rápido demais pra eu aceitar algo crível nesse nível, mas como estamos falando de erótico, eu nem vou comentar… e falando nisso, o livro tem muitas cenas quentes, então se você não gosta, pode vir a ser um problema. Eu não me incomodo com isso, achei até que pra um livro do gênero, a autora dosou bem. 
O começo é meio parado no sentido de nada interessante realmente acontecer nos primeiros capítulos. Há a chegada de Layla, a vontade de copular com o Jesse, e a gravidez de Em, mas nada tão impactante assim, o que me prendeu mais a história foi o desenvolvimento da amizade de Drake e Lana por parte dos panos. Eles se gostam, mas como ela tem apenas dezessete anos e ele trinta e um, já sabemos o bando de treta que vai acontecer aqui. Eles foram muito mais interessantes de acompanhar do que o casal principal, pra vocês verem mas no fim eu realmente acabei gostando da Layla com o Jesse, eles são fofos e altamente explosivos, no sentido sexual.
Eu só achei a Layla meio hipócrita quando ela tentava dar uma dicas pra irmã dizendo pra ela não se envolver com roqueiros sendo que ela praticamente tava dando pra um. Se não for seguir o que você fala, nem comente.
Outra coisa notável é que os personagens não estão com aquela agenda de shows infinitas que tivemos no primeiro livro, por isso não tem tanta correria e conhecemos mais dos personagens como humanos e não somente como estrelas do rock nessa visão. Foi bem legal e eu espero que os próximos livros sejam assim.
Apesar das ressalvas, eu terminei O coração do roqueiro com um sorriso gigante porque no fim, eu sempre me apaixono pelos personagens. A evolução da narrativa e da escrita da autora é gritante, eu fiquei impressionada e isso ajudou muito na hora de dar a nota. Estou lendo O anjo do roqueiro, que conta a história da Lana e do Drake e espero que a autora consiga usar bem o arco que fez, e não cague tudo colocando sexo em cenas desnecessárias (como a maioria dos eróticos fazem). 
Postado por Miriã Mikaely
Posts criados 1379

12 comentários em “O coração do roqueiro – Terri Anne Browning | Resenha

  1. Olá, Miriã.
    Já sabe que passo longe desse gênero. Não tem nada nele que eu goste. Mas até que leio de vez em quando para passar raiva hehe. Eu li recentemente Musica do Coração e nem acreditei que existiam essas tal de groupie. Tem gente para tudo hehe.

    Prefácio

  2. Oi, Sil
    Eu já to tão acostumada com o gênero que leio sem nem sentir, mas acho histórias de roqueiro muito no clichê. Eu já li esse livro também, mas eu fico chocada com o quanto as mulheres querem se submeter a ser uma groupie, é muita paranoia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Procura algo? Digite aqui e clicle em enter para pesquisar. e ESC para sair

Compre agora o novo Kindle Paperwhite! Músicas para quem ama o universo de League of Legends Spoiler: 3º ato de Arcane Músicas com representatividade LGBTQ+ Bully Romance: o que é + indicações