Uma história de segunda chance para o amor da autora da série Driven e Best-seller do The New York Times.Tudo começou com o convite. Para o novo casamento do meu ex-noivo.Deveria tê-lo ignorado. Jogado fora ou ateado fogo. Mas não fiz nada disso. Eu respondi dizendo que iria e levaria um acompanhante.E então, acidentalmente, minha assistente o enviou pelo correio.É aí que Hayes Whitley entra em cena. Estrela de cinema. O homem que conquistou o coração de milhões de pessoas. Entreguei o meu a ele há anos. Ele foi meu primeiro amor. Era meu tudo. Bem, até ir embora para correr atrás dos seus sonhos sem nem me dizer adeus.Quando ele apareceu, do nada, dez anos depois, eu deveria ter me afastado dele. Deveria ter rejeitado sua oferta para me levar ao casamento do meu ex. Nunca deveria ter permitido que ele me beijasse.Mas não fiz isso.E agora, ficamos nos perguntando se os fragmentos de vida que compartilhamos ainda se encaixam de alguma forma. O primeiro amor é difícil de esquecer. A questão é: será que queremos esquecer? Ou devemos arriscar e ver o que acontece depois?

Erótico, romance | 290 páginas | Editora Allbook 
Saylor Rodgers acaba de receber um convite de casamento. Mas não é qualquer convite não. É o convite que ela escolheu a dedo durante um longo período de preparação para o seu casamento. Mas ao que tudo indica, seu ex-noivo Mitch, resolveu usar tudo o que já havia sido planejado para fazer seu próprio casamento. Só que com outra noiva.
Saylor é uma confeiteira que aos poucos está conseguindo gerir sua própria empresa. Desde que terminou seu noivado há pouco mais de oito meses as coisas tem sido difíceis, mas nada que ela não consiga vencer com a ajuda de seu irmão, Rayder e sua melhor amiga, DeeDee. O problema é que os negócios não estão indo bem, e para piorar, ela ainda recebeu o convite de casamento do ex. O que ela deveria fazer? Ir? É claro que não! Ela só seria humilhada por toda aquela gente esnobe que suportou por durante seis longos anos.
Mas em um ímpeto de raiva a garota acaba respondendo o convite e até dizendo que vai levar um acompanhante. Ela só não precisaria enviar, então tá tudo certo. Outro problema? DeeDee sem querer envia a correspondência e agora Saylor precisa aparecer pleníssima no casamento do ex para mostrar que sim, tomou a decisão certa e está muito bem, obrigada.
Só que ela não tem ninguém… até que seu irmão tem a brilhante ideia de chamar um amigo do passado de Saylor: Hayes Whitley, o astro de Hollywood. O irresistível ator tem um passado com a confeiteira, mas jogou tudo para o alto quando resolveu ir para Los Angeles sem avisar e de lá nunca mais voltou. Todo ressentimento que Saylor sente por ele vibra quando ele ressurge das cinzas, mas está próximo de cair porque apesar dos dez anos separados, Saylor sabe que ainda ama Hayes.


Doce tentação é literalmente um livro doce e envolvente. Para os amantes de romances, esse livro é um pedido que cai certamente e que nos envolve com sua narrativa e seus personagens. É meu primeiro contato com a escrita da K. Bromberg e já deixo claro que eu quero mais dela! Por mais livros assim, amém! Eu fico meio chateada quando colocam que um livro é erótico sendo que tem pouquíssimas cenas sexuais. Meu filho, pro livro ser erótico tem que ser aquela esculhambação toda. Se não tem, no mínimo é um romance. O fato de já colocarem esse “rótulo” nele faz com que muitos leitores não queiram ler a obra e o livro vai perdendo crédito por coisinha boba, aff.
Mas voltando a falar do livro… Saylor é de fato uma personagem maravilhosa! Eu me vi completamente nela. Por um lado temos seu jeito fofo e humilde, por outro uma mulher louca e pronta para soltar os cachorros em cima das pessoas. Amei essas duas personalidades dela, além de ter adorado suas neuras quanto ao seu negócio, já que boa parte da trama tem esse foco.
O fato dela perceber que o ex, vulgo Mitch, a desvalorizava é muito importante. Só assim podemos entender porque ela terminou com ele, e quanto mais ela analisa seu relacionamento para o leitor, mais percebemos que Mitch era realmente um babaca porque não aceitava Saylor como ela era e sempre queria moldá-la do seu jeito. Ou seja, sua personalidade vibrante ficava embaixo da pele de mulher bela, recata e do lar, mas grazaaDeus isso passou né, mores.
Hayes é aquele personagem que temos motivos para odiar, pelo fato dele ter ido embora da vida de Saylor sem mais nem menos, mas que não conseguimos porque ele é simplesmente maravilhoso. Apesar de todo o sex appeal e do fato de ser um galã de filmes, o que chama mais atenção é sua amizade e o que ele está disposto a fazer para trazer a antiga Saylor de volta à tona. Ele a protege mas também não a desmerece, pelo contrario, acredita no seu potencial e não a subestima, ao contrário do Mitch, que queria basicamente que ela fosse a esposa troféu. 
O livro é muitos sensual como comentei acima, mas não acho que seja um erótico. Lógico que tem cenas quentíssimas mas nada demais, então relaxem aí e deem uma chance a obra! O único problema pra mim é que a escrita da autora é um pouco densa. Além do começo lento, ela perde muito tempo analisando os pensamentos e sentimentos dos personagens e isso me incomoda, mas pra quem estiver já acostumado com esse tipo de narrativa, isso talvez não seja um problema.
É muito legal ver os personagens redescobrindo aquele amor do passado, deixando as mágoas e ressentimentos de lado e dando uma nova chance a aquilo que eles sentiam. Eu super mega torci por eles!
Doce tentação tem romance, amizade, personagens encantadores e claro, muita referência a comida! Saylor é confeiteira e faz de tudo para que seus cupecakes consigam entrar no mercado com um arrombo e vamos ver esse batalha da personagem para isso acontecer. É tanta farinha, tanto bolo e tanta cobertura que só me dava água na boca imaginar as cenas que se passam na cozinha.
Um ponto mega positivo do livro é a abordagem que ele traz sobre a fama. É ótimo ganhar dinheiro fazendo filmes e etc, mas já pensaram no tanto de mentira ou de coisa que a pessoa precisa viver para conseguir vender aquela imagem? É um mundo muito obscuro porque nem tudo o que vemos nos jornais e revistas de fofocas são verdade, e ás vezes é tudo muito mais feio e cruel do que aparenta.
Então vamos lá, nem preciso recomendar mais do que duas vezes essa obra né? Eu simplesmente amei e acho que é um ótimo romance para quem quer ler algo fofo, com pitadas sérias e muita sensualidade.

Posts criados 1379

17 comentários em “Doce tentação – K. Bromberg | Resenha

  1. Concordo com você, pra ser erótico tem que ser explicito mesmo, por que cenas sexuais também são bem normais em romances, então, pelo que você disse, acredito que esse livro esteja mesmo muito mais no patamar de romance do que de erótico.
    Só de ler a sinopse eu já achei o livro bem amorzinho e aconchegante. Gostei da resenha.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

  2. amei??? confesso que quando li que era erótico já fiquei meio assim, já que não é meu estilo, mas pelo que você disse, esse livro tá com bem mais cara de romance, né? tanto que eu me interessei muito! além de curtir a história, acho que também ia me apegar a Saylor. adorei a resenha e já quero ler!

    um beijão,
    GABS | likegabs.blogspot.com ❥

  3. Olá!
    Não sou muito de comprar livros eróticos e confesso que eu acho que passaria esse, mas depois da resenha não é que eu me interessei? Com pitadas de sensualidade é algo positivo. Gostei muito da história e acho que já estou odiando o ex-namorado dela haha Vamos ver se eu leio em breve 🙂
    Beijos

    Our Constellations

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Procura algo? Digite aqui e clicle em enter para pesquisar. e ESC para sair

A moda presente nos romances de época Autores nacionais para conhecer Um clichê, um livro Conheça os contos de Blackout Review: Um amor desastroso