Marguerite Caine cresceu cercada por teorias científicas revolucionárias graças aos pais, dois físicos brilhantes. Mas nada chega aos pés da mais recente invenção de sua mãe — um aparelho chamado Firebird, que permite que as pessoas alcancem dimensões paralelas.
Quando o pai de Marguerite é assassinado, todas as evidências apontam para a mesma pessoa: Paul, o brilhante e enigmático pupilo dos professores. Antes de ser preso, ele escapa para outra realidade, fechando o ciclo do que parece ser o crime perfeito. Paul, no entanto, não considerou um fator fundamental: Marguerite. A filha do renomado cientista Henry Caine não sabe se é capaz de matar, mas, para vingar a morte de seu pai, está disposta a descobrir.
Com a ajuda de outro estudante de física, a garota persegue o suspeito por várias dimensões. Em cada novo mundo, Marguerite encontra outra versão de Paul e, a cada novo encontro, suas certezas sobre a culpa dele diminuem. Será que as mesmas dúvidas entre eles estão destinadas a surgirem, de novo e de novo, em todas as vidas dos dois?
Em meio a tantas existências drasticamente diferentes — uma grã-duquesa na Rússia czarista, uma órfã baladeira numa Londres futurista, uma refugiada em uma estação no meio do oceano —, Marguerite se questiona: entre todas as infinitas possibilidades do universo, o amor pode ser aquilo que perdura?
Ficção Cientifica, Aventura, Romance | 288 Páginas | Editora Agir Now

Marguerite é filha de um renomado casal de físicos, os quais estudam as teorias de multiverso, ou seja, a existência de universos paralelos. No inicio dos estudos, seus pais eram alvos de chacota por acreditarem nisso, mas com o tempo, com ajuda de Paul e Théo, dois estudantes de física, eles conseguiram comprovar a teoria e criaram um objeto que permite que pessoas viagem através dos universos paralelos: O Firebird.
Eles sabiam que a vida deles iria mudar, mas não imaginava que para pior. Paul sabota os frieos do carro de pai de Marguerite, fazendo que o mesmo caia em um lago e acabe falecendo. O mesmo rouba o único Firebird criado e foge para um universo paralelo.
Théo, a partir de protótipos, consegue criar dois novos Firebird, assim ele e Marguerite decidem ir atrás de Paul e vingar a morte do pai dela. Acompanharemos Marguerite e Théo em uma viagem por várias dimensões, capazes de despertar muitos sentimentos nos dois e revelar coisas que eles não estavam preparados para saber. Será Marguerite capaz de matar o assassino do seu pai?
Ah que livro maravilhoso! Não foi uma surpresa tão grande, porque eu já esperava uma obra boa, mas digo que valeu a pena cada página. O livro é narrado por Marguerite e foi muito divertido acompanhar e conhecer outras versões da mesma personagem, que mesmo havendo algumas características diferente, parecia manter sempre a essência que conhecemos da nossa dimensão.
Mesmo sendo nova é uma menina muito corajosa e decidida, somente as vezes um pouco confusa em relação a seus sentimentos. Mas sendo adolescente, quem não era? Gostei muito de todos os personagens, cada um com sua personalidade que o destaca dos demais. Eu também adorei conhecer as outras versões de Paul. Será que somos bons ou maus em todas as nossas versões? Ou uma mesma versão de uma pessoa pode ser boa e má?
A questão de multiverso, as viagens entre universos paralelos, suas regras, consequência e limites são explicados no decorrer da história sem ficar chato, massante, ou complicado. Pelo contrario, acaba sendo muito divertido conhecer uma teoria tão complicada de modo tão simples. Confesso que nas primeiras páginas é um pouco mais difícil assimilar a ideia, mas logo você se acostumada e compreende.
O livro é cheio de reviravoltas e ótimo para criar teorias. Eu fiz várias, algumas eu acertei e outras acertei parcialmente. Não irei explicar como para não liberar spoiler, mas posso dizer que as coisas eram muito mais complexas e trabalhadas do que eu havia pensado. 

Toda tecnologia que a humanidade inventa é usada para colocar os homens uns contra os outros. É só questão de tempo.

Essa é a graça dos plot twist do livro, que podemos até imaginar qual vai ser, porém não totalmente já que eles são mais profundos. Mil Pedaços de Você é o primeiro volume da Trilogia Firebird, e ele deixa alguns questões abertas para o segundo livro, que promete muita história e revelações importantes e complexas sobre o universo criado pela autora e intrigas que contém o mesmo. Algo que faz com que as reviravoltas do livro causem mais impacto é a maneira que a autora nos entrega a trama, revelando detalhes sobre toda a complexidade dos problemas aos poucos.
Nessa obra temos aquela questão de Vilão e Mocinho, onde o vilão faz coisas para atingir os objetivos não imagináveis. Porém, não é como em conto de fadas, sendo muito mais adulto e mostrando o quanto as pessoas podem ser cruéis e o quanto isso pode ser pior quando essa pessoa usa sua inteligência para a maldade. 
Recomendo muito para quem gosta do gênero. Há muita física envolvida, aventura e uma dose de romance, muito bem calculada, onde a autora soube inserir cenas do gênero sem momento algum perder o foco do assunto principal, apenas dando um extra para o leitor.
Mil Pedaços de Você foi uma leitura que me agradou demais, me proporcionou muitos momentos de prazer, diversos sentimentos e com certeza me deixou ansiosa para o próximo volume. 
POSTADO POR ALINE BECHI
24 anos. Ama escrever e falar pelos cotovelos.
Posts criados 95

10 comentários em “Mil Pedaços de Você – Claudia Gray | Resenha

  1. Oi, Aline! Tudo bom?
    Eu gosto muito desse primeiro e do segundo volume da série; o universo (multiverso HAHAHAHA) que a autora criou é realmente genial e adooooooro essas coisas de viagem entre dimensões e realidades paralelas. Ela conseguiu construir uma história que realmente prende.
    Só fiquei decepcionada com o final :/ vou aguardar sua resenha pra ver sua reação.

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    http://www.queriaestarlendo.com.br

  2. Que delícia de resenha (como sempre)! Fiquei apaixonada pelos detalhamentos que chegaram a me lembrar um pouco de Interestelar. Adoro tramas que nos fazem refletir sobre conexões humanas fortemente enquanto criamos teorias outras sobre aspectos além. Lindezura!

    semquases.com

  3. Oi Aline,
    Eu não tenho o costume de ler o gênero, mas tenho esse ebook no Kindle pq uma vez ficou gratuito rs.
    Preciso me arriscar, já ouvi opiniões tanto positivas quanto negativas então vou sem muitas expectativas.
    Beijos
    estante-da-ale.blogspot.com/?m=1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Procura algo? Digite aqui e clicle em enter para pesquisar. e ESC para sair

A moda presente nos romances de época Autores nacionais para conhecer Um clichê, um livro Conheça os contos de Blackout Review: Um amor desastroso