Meu nome é Arthur Montenegro. Três anos atrás eu simplesmente desapareci, sendo dado como morto pelos meus familiares e amigos. Porém, a verdade é completamente diferente.

Fui sequestrado por uma corporação secreta e recebi um treinamento militar. O objetivo era me tornar um assassino, mas eu escapei. Ao voltar para minha vida real, já não era o mesmo.

Apenas um pensamento preservou minha vontade de lutar e sobreviver: Christine. A mulher que eu amava e que tanto magoei antes de desaparecer. Contudo, surgir na porta da casa dela ferido e precisando de ajuda talvez não fosse a forma mais correta de me redimir. Muito menos colocá-la em perigo.

Aqueles que me sequestraram ainda me perseguiam. Por saber demais, queriam me eliminar. A solução que encontraram foi usar Christine para me atingir. Então, eu precisava protegê-la, enquanto armava um plano de vingança, sem saber que havia muito mais segredos que colocariam a prova tudo em que eu acreditava e todos aqueles em quem confiava.

Arthur Montenegro desapareceu há três anos atrás após um grave acidente de carro, e por isso foi considerado como morto. Christine, sua melhor amiga, ainda não superou a perda do amor da sua vida, e desde então leva uma vida miserável indo do trabalho para a casa. Mas justo no terceiro aniversário de morte de Arthur, quando Christine enfim decidiu seguir em frente, uma surpresa: um corpo de um homem ensanguentado surge em sua porta.

Assim que Christine reconhece o rosto de seu melhor amigo, vários sentimentos a confrontam. Esperança por rever o homem que amou um dia, mas desalento ao perceber o estado em que ele se encontra. E essa turbulência de emoções vai piorar quando Arthur, agora com uma nova compleição física e um curioso número tatuado em seu braço, decide não contar a ela o que de fato aconteceu.

Tudo o que sabemos é que Arthur foi sequestrado para ser transformado em um soldado por uma corporação chamada MR. Não sabemos de fato quem eles são e o porquê de fazerem isso, apenas que Arthur passou por vários processos para se tornar quem ele é hoje, e por pura sorte e um pouco de força bruta, ele conseguiu fugir.

E agora essa fuga coloca Christine na mira de seus raptores. Disposto a tudo para proteger a mulher que ama e com pouco tempo para isso, Arthur entrará mais fundo no mundo clandestino, enquanto tenta desvendar todas as pontas soltas deste mistério.

O que ainda restou é um romance policial que tem tudo para cativar você. A história se passa em solo brasileiro, mais precisamente no Rio de Janeiro. No prólogo descobrimos um pouco mais sobre o sequestro de Arthur três anos atrás, mas os capítulos seguintes vão mostrar como anda a vida de Christine, que infelizmente ainda não superou sua “morte”.

Dá pra ver que existe um ressentimento entre eles, algo que aconteceu antes do tal acidente que pode ter abalado essa amizade, mas que a autora não aprofunda já que se empenha mais em mostrar o confronto dos dois no presente e reascender o sentimento entre eles. E como vocês já devem saber, a Bia não é uma autora que foca tanto assim nas cenas quentes. Ela gosta mais de um slow burn, amadurecendo os sentimentos dos personagens, antes de realmente os colocarem juntos, e aqui não foi diferente. Para esse tipo de enredo, eu acho que funcionou muito bem.

Arthur é um homem complicado mas também cheio de determinação. Ele é bem diferente do homem de três anos atrás, e essa nova “violência” que lhe fora colocada às vezes coloca Christine com um pé atrás em relação a ele, mas com o passar dos capítulos, vemos que o amor que eles sentem transpassa a desconfiança. Christine é uma mulher um tanto apática no início mas que vai começando a se desenvolver com o passar das páginas.

O que chama atenção mesmo é o mistério envolvendo o sequestro de Arthur. Todo o livro é uma grande incógnita porque não sabemos direito o que é a MR e quais os planos que eles tem, ainda mais porque nem mesmo o personagem tem essas informações, já que era apenas um soldado. Por isso, é aquele tipo de história que o leitor vai descobrindo as pistas aos poucos ao mesmo momento que os protagonistas.

O ritmo do livro é até um pouco lento para um romance policial. Tem coisas que poderiam ser mais rápidas e eu sinto que a autora estendeu demais algumas situações, mas isso contribui para uma história mais bem trabalhada.

Esse é o primeiro volume de uma duologia e mesmo com várias perguntas respondidas, ainda faltam algumas serem sanadas para que a imagem mental do mistério comece a aparecer. Eu gostei bastante e mesmo não sendo o tipo de livro que normalmente leio, a leitura é envolvente e cumpre seu propósito. Recomendo!

Duologia MR #1 | 316 páginas | Editora Qualis

24 anos. Ama escrever e falar pelos cotovelos.
Posts criados 108

2 comentários em “O que ainda restou – Bia Carvalho | Resenha

  1. Olá, Miriã.
    Já fiquei aqui na curiosidade para saber o que aconteceu com ele hehe. O enredo lembrou muito os filmes de ação que eu assistia antigamente e por isso me interessei. Mas vou aguardar lançar o outro que dai já leio junto hehe.

    Prefácio

  2. Oi Miriã.
    Eu gosto da escrita da Bia Carvalho que conheci através da sua Trilogia das Flores. Esse ainda não li, mas por sua resenha dá para sentir que é um bom romance policial. Bom que mesmo não sendo sua leitura habitual conseguiu te agradar.
    Bjus

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Procura algo? Digite aqui e clicle em enter para pesquisar. e ESC para sair

O que esperar da 3ª temporada de Sex Education 5 motivos para você ler O Inverno entre Nós A moda presente nos romances de época Autores nacionais para conhecer Um clichê, um livro