Você pode ler esse texto ouvindo Not about Angels, da Birdy ❤ 
Esse texto é pra todos vocês que um dia tiverem ou tem um Tumblr, e entendem o conceito de ser acolhido.
Sempre fui apaixonada por coisas emergentes. Redes sociais que surgiam do nada e se tornavam meu mais porto seguro durante anos. Antes da era do Facebook, todo mundo conhecia ou tinha uma conta no Orkut e em suas comunidades. Se você quisesse criar uma comunidade que fosse “apaixonados por brigadeiro”, você com toda certeza iria conseguir encontrar alguém para fazer parte do grupo. O que a gente não percebe é que através dessa rede social, a gente conhecia muito mais pessoas do que achávamos que fossemos conhecer, além de criar novos vínculos, novas amizades e até mesmo inimizades.
Antes da era Tumblr que vigorou por muitos anos, eu era apaixonada pelo Formspring, um site destinado a receber perguntas anônimas, que foi graciosamente desbancado pelo Ask.fm, outra rede social que reinou em minha vida durante muito tempo e que me concedeu conhecer o meu melhor amigo hoje. 
O Tumblr, pra quem não conhece, é uma rede social mais como um blog onde você pode compartilhar fotos, quotes, textos, música e por aí vai. O tipo de imagens – desde a sua composição à beleza da foto – nesse site fez tanto sucesso que “ser tumblr” se tornou um elogio. Quando conheci esse site, eu confesso, foi mais porque o garoto da minha sala na 8ª série que eu gostava na época tinha um também, e como não sou boba nem nada, resolvi conhecer e fazer uma conta também. Nunca imaginei que fosse gostar tanto. Apesar da simplicidade da rede, é sua austeridade que me deixou apaixonada.
Lá você conhece pessoas que aparentemente conseguem pensar o mesmo que você e que conseguem explanar em textos ou frases exatamente aquilo que você está sentido. E é claro, as imagens lindas que mexem com os sentimentos de quem a vê e a compartilha. Eu me sentia segura, compreendida e sentia que naquele lugar eu tinha um cantinho especial para mim (ah, e foi lá onde comecei a mexer com html e ficar nesse vício).
Infelizmente quando o Tumblr foi vendido ao Yahoo, de repente parece que o site perdeu seu apelo e as pessoas deixaram de usar. Lembrando também que muitas outras redes começaram a aparecer e a ter mais destaque como o Ask.fm, antes citado acima, o Blogger e o Instagram. Eu demorei a migrar, até porque abrir mão de um site que te faz tão bem não é fácil, e eu sou apegada demais as coisas, mas percebi que é necessário mudar. Vim para o blog com o intuito de falar sobre mim e as coisas que eu adoro, e aqui descobri um novo lar. 
Todo mundo teve um tumblr, e se você faz parte daqueles que nunca pensaram em aderir a ideia e criar uma conta, acho que você perdeu uma grande oportunidade de conhecer uma rede social tão gostosa de usar. Apesar de não mexer muito e usar o tumblr apenas para fins práticos, como hospedar imagens, eu ainda tenho a minha conta e deixo abaixo o link para vocês visitarem. 
Também tenho uma página somente de quotes que eu me arriscava a escrever, e que hoje está tão abandonada quanto eu em noite de sexta-feira pelos amigos, mas a título de curiosidade, deixarei no fim do post alguns quotes assinados por mim para vocês conhecerem. Só para vocês entenderem o teor dos meus quotes, eu escrevi quando tinha 16 anos e tinha acabado de passar por um término de namoro, então relevem haha.
Se você ainda tiver um tumblr e quiser compartilhar o link para eu poder conhecer, eu vou ficar muito feliz também! ❤
Meus quotes (Ley me love you)

“Transformaria minhas tristezas em papéis, pois assim poderia queimá-las.”

“O amor é algo bom que veio para amenizar os nossos corações sombrios.‎”

“Procuramos em meio a tantos rostos alguém que nos complete e entenda nossos defeitos.”

“Tenho esquecido meus limites, esquecido que há certas coisas que eu não posso mudar e muito menos me envolver.”

“É difícil você encontrar alguém hoje que queira ouvir o que você tem a dizer sobre os seus sentimentos, sobre suas dores e angústias. É difícil mais ainda encontrar alguém que ame seus defeitos assim como suas qualidades e que saiba fazer as pazes depois de uma briga.”

“Sinto por não me reconhecer como antes.”

“Tome cuidado com o que você fala. Paciência tem limite e eu nunca tive um.”

“Coleciono minhas mágoas. Darão uma boa exposição no futuro.”

“E se eu te falar que sou apenas uma alma perdida em meio a tantas vidas?”

“Metade de mim é medo e a outra metade confusão.”

Posts criados 1379

11 comentários em “Era uma vez um tumblr…

  1. Eu adorava o tumblr, usei até ser vendido para o Yahoo. Achei que o tumblr começou a perder sua cara, e pior, eu me irritava muito com os anúncios que antes não tinham. Agora meu tumblr ta abandonado, mas, eu adorava reblogar fotos em preto em branco de coisas que me agradavam ;-;
    Sdds tumblr.
    Seu texto foi tão nostálgico.

    Nanda, Gravado na Memória

  2. Oi, Nanda
    Eu também era apaixonada pelo Tumblr, só não sei porque exatamente ele deixou de ser tão popular. Algumas pessoas ainda conhecem mas muita gente deixou de usar. Tem vezes que eu até vou lá e visito meu e dá uma saudade enorme.

  3. Eu nunca usei, nunca criei sequer conta, sabia que seria uma coisa que iria passar, sou de uma geração anterior ao tumblr, na nossa altura para além do grande hi5, a moda passaa pelos fotologs que muita gente de agora nem sabe o que era, mas eram blogs com base na imagem, entre tantos outros que foram aparecendo e desaparecendo.

    MRS. MARGOT

  4. Olá, Miriã.
    Eu nem sabia o que era até agora hehe. Eu sou meio nova nas redes sociais. Quando consegui ter acesso a internet o Orkut já estava em seus últimos dias, por isso frequentei pouco ele e agora uso mais o Face e o blog. O povo migra de uma rede social para outra muito rápido hehe.

    Prefácio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Procura algo? Digite aqui e clicle em enter para pesquisar. e ESC para sair

Autores nacionais para conhecer Um clichê, um livro Conheça os contos de Blackout Review: Um amor desastroso Review: A maldição do mar