Na porta da frente – Lili Borghes | Resenha

—Você tem o controle. Estou sem saída, estou em suas mãos…Rafael Bastos sempre teve a mulher que desejou sem fazer nenhum esforço, até aquela garota de olhos bicolores e lábios carnudos cruzar seu caminho.
Ao contrário das outras mulheres que já passaram nas mãos deste irresistível sedutor, Maria Júlia parecia imune aos seus encantos, o levando fazer disso seu principal objetivo: Levar sua nova e bela vizinha da porta da frente para a cama.
Maria Júlia mal se mudou para seu novo apartamento e já teve o “des-prazer” de conhecer seu novo e atraente vizinho.
Ela até que tentou, e muito, manter uma distância segura daquela intensidade toda em forma de homem, mas aos poucos se viu perdida em uma paixão perigosa e avassaladora capaz de destruir seu coração de menina.

Romance | 615 páginas | Editora Independente 
Rafael Bastos é o primo mais galinha de todos, tanto que sua fama lhe precede, todos os outros sentem inveja de seu jeito despreocupado e pensam nele como um modelo a ser seguido. Agora que Gabriel, seu irmão gêmeo, terminou de vez com Bia, a garota que partiu seu coração, eles estão mais do que dispostos a sair por aí pegando toda a população feminina do Rio.
Rafa só não imaginava que teria uma garota que resistiria firmemente aos seus encantos: Maria Júlia, a nova vizinha da porta da frente. Tá, na verdade ela não chamou tanta atenção dele no início, mas seu jeito ácido de falar com ele e seus olhos bicolores são o que fazem o cara cair matando em cima dela. Ele já deixou claro que só quer levá-la para cama, mas como Maju tem apenas 18 anos e ainda é virgem, é lógico que ela não cederia tão fácil. Eles então entram em um joguinho de gato e sapato onde tudo pode estar valendo a pena, até mesmo o coração desse playboy.
Na porta da frente é o segundo volume da série Primos Bastos e conta a história de Rafa, o mais legal deles, isso porque Rafa é basicamente um Don Juan, e quem não ama ver a redenção de um cara que jura não querer relacionamento sério, né?
Desde o início o personagem aparece esbanjando alegria e diversão por onde passa. Ele é um completo galinha, se orgulha disso e não quer mudar de jeito nenhum. Afinal, a vida está boa como está. Pra mim Rafa foi um personagem muito fácil de gostar, sua personalidade é muito cativante, apesar das suas piadinhas com conotação sexual e dele ser meio criança ás vezes. No fundo o cara não passa de um romântico que tem uma essência invejável. 
Maria Júlia tem heterocromia, coisa que no princípio assusta o Rafa, e também já foi motivo de muito constrangimento por parte da garota na infância. Pra quem não sabe, a doença é aquela que deixa os olhos de cores diferentes. Além disso, ela também é adotada, sofreu um trauma na infância ao ser abandonada pela mãe aos seis anos de idade. Graças a Deus ela foi adotada e hoje vive tranquilamente com os pais que são médicos. A garota é um pouco arisca no princípio, ela é a famosa nerd que não gosta de festas e etc, mas isso acaba por ser mudado ao longo do livro, trazendo à tona uma Maju mais divertida e madura. 
É muito legal os encontrões dos personagens, ainda mais porque Rafa não sentiu atração nenhuma por Maju quando a conheceu, e isso foi bem diferente do que eu estava esperando. Eles precisam confiar um no outro, criar uma relação de convivência primeiro para depois se arriscarem, e acreditem, se para Maju é difícil confiar em Rafa, imagina pra ele que mal sabe todas as coisas estranhas que está sentido por causa da garota. É divertido e me rendeu muitos momentos de emoção porque eu adoro esse tipo de clichê.
Gabriel aparece bastante na história porque ainda mora com Rafa no apartamento, só Kaiary e Angel que quase não dão o ar da graça já que acabam se casando e se mudando para Petrópolis no meio do livro. A Bia também reaparece e que raiva dessa menina! Não vejo a hora de ler o livro do Gabriel pra saber o que vai acontecer com esses dois.
Só vou reclamar de uma coisa que eu também reclamei no primeiro livro: o excesso de páginas. Caramba, são 615 páginas para um romance! Senti que a autora se estende demais, algumas coisas são desnecessárias e deixam a leitura arrastada, por isso demorei tanto para terminar a obra. Apesar disso, gostei mais desse livro do que do primeiro justamente pelo arco da história e pelo próprio Rafa que me encantou desde o princípio.
A escrita da autora continua gostosa e leve, bem simples e muito alto astral. Impossível resistir a conhecer esses três primos e tenho certeza que vou me encantar mais com o último livro que confesso, é o que eu mais queria ler.
POSTADO POR MIRIÃ MIKAELY

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 thoughts on “Na porta da frente – Lili Borghes | Resenha

  1. Olá, Miriã!

    Realmente, 615 páginas não é de Deus, não hahaha.Também acho bastante e quase não costumo ler livros tão grandes assim. Gostei da premissa do livro, adoro quando o casal vai deixando as coisas acontecerem primeiro e não fica dando a impressão que foi um romance forçado, sabe?! Adorei a resenha <3

    Beijão
    Cantinho da Escrita

@blogcapitulotreze

Livros baseados na história de Cinderela Por quê você precisa assinar o Amazon Prime? 8 motivos para assinar o Kindle Unlimited Todas as edições de Harry Potter publicadas no Brasil Como economizar na hora de comprar livros?