Em casa para o Natal – Cally Taylor | Resenha

Ela tem a vida quase perfeita. Seu único desgosto é nunca ter ouvido as três palavras mágicas: eu amo você. Assim como em seu primeiro livro, O céu vai ter que esperar!, Cally Taylor, no divertido Em casa para o Natal, une com maestria romance e comédia, mas, desta vez, com uma diferença: na época mais especial do ano, o Natal. Quando lançado na Grã-Bretanha, fez enorme sucesso, figurando nas principais listas de mais vendidos.Beth Prince sempre adorou contos de fadas e acredita que está prestes a viver um final feliz: tem o emprego dos sonhos em um charmoso cinema independente e um namorado maravilhoso chamado Aiden. Ela faz parte de um grupo privilegiado de pessoas que trabalha com o que ama, e o entusiasmo pelos filmes intensifica a busca por seu próprio “felizes para sempre”. Só há um problema: nenhum homem jamais declarou seu amor por ela. E, apesar de acreditar que Aiden é o príncipe encantado, a protagonista desconfia de que ele tem medo de dizer “eu amo você”. Desesperada para escutar essas palavras mágicas pela primeira vez, ela resolve assumir as rédeas do destino — e acaba se arrependendo.
Com Em Casa Para o Natal, Cally Taylor brinda o leitor com uma deliciosa comédia romântica que tem como pano de fundo o espetacular universo do cinema e os tempos festivos do Natal.

Beth Prince tem o que muitas mulheres sonham: o emprego que ama e o namorado perfeito. Nada poderia estar melhor. O problema é que o lugar onde trabalha, um cinema histórico chamado Picturebox, está mais pra falido do que nos seus dias de glória, e seu namorado, mesmo após dez meses de relacionamento, nunca lhe disse “Eu te amo”. Na verdade, nenhum dos ex-namorados de Beth lhe disse essas três palavrinhas, o que a corrói por dentro. Por isso ela decidiu que não irá falar também, só até que a pessoa se declare antes. O que tá bem longe de acontecer…
Matt é gerente do cinema Apollo. Ele também não teve sorte nos relacionamentos, isso porque faz algumas semanas que terminou com Alice, e ela continua o perseguindo. A garota é completamente passional, e vigiava tanto os passos de Matt que ele simplesmente se cansou. A única pessoa em quem confia de verdade é seu avô, com quem tem uma ótima relação. Ele e Beth são completamente diferentes, mas não é que possuem algumas semelhanças?
Não falei muito do enredo para não estragar sua experiência com a história, mas se você entende de romances tanto quanto eu, já sabe que esses dois vão acabar se entrelaçando né? De uma maneira simples e bem humorada, Cally Taylor nos entrega um romance britânico bem gostosinho de ler. Se você gosta das obras da Sophie Kinsella, Jane Costello e Beth O’Leary, talvez consiga se encantar com essa obra também. 
Beth é uma personagem muito fofa, que dá vontade de guardar num potinho. Ela é fora dos padrões, divertida e muito estabanada, então de cara já curti a personagem. Me identifiquei muito com ela através das suas inseguranças, em sempre não se achar boa o bastante para as pessoas. Mas Beth vai descobrir que o problema é que ela é BOA DEMAIS! E ver seu desenvolvimento ao longo da trama foi muito legal.
Matt também é um personagem bem interessante e fofo, mas consegue se meter nas maiores confusões ao tentar tomar atitudes que ele considera certas. O envolvimento dele com Beth não acontece de imediato, é algo que é construído aos poucos e de forma gradual. Até porque eles estão em relacionamentos conturbados e também precisam de um tempo para se encontrarem e descobrirem o que quer. O fato da autora não jogar os personagens logo um em cima do outro me agradou bastante porque consegui ver que ela soube desenvolver o casal sem forçar logo de cara. 
A obra é bem divertida e a autora tem uma narrativa simples e gostosa, do tipo que faz você ler o livro inteiro em apenas uma tarde. Os momentos finais são emocionantes e conseguem aquecer o nosso coração. Mas se você está achando que a obra se passa no Natal, já vai tirando seu cavalinho da chuva. Ao contrário do que parece, a história é relatada antes desse feriado, mas o título também não é por acaso. Só lendo pra entender!
Se você curte chick-lits engraçados e com aquela pitada de romance, você pode ler Em casa para o Natal tranquilamente.

EM CASA PARA O NATAL | 350 PÁGINAS | EDITORA BERTRAND BRASIL | NOTA: 5/5

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 thoughts on “Em casa para o Natal – Cally Taylor | Resenha

@blogcapitulotreze

Livros baseados em contos de fadas Por quê é importante ler? Livros que se passam fora dos EUA Um dia: livro x filme 5 bebidas para acompanhar um bom livro