Um amor de vigarista – Laura Lee Gurke | Resenha

Os últimos anos não foram fáceis para a srta. Amanda Leighton. Sozinha depois de perder o pai, envolveu-se em um escândalo que lhe custou o cargo de professora e depois ainda precisou fugir da casa em que trabalhava como governanta por causa dos avanços impróprios do ex-patrão.

Desesperada por um emprego, ela sabe que tem todas as qualificações para o posto de tutora, e não vai deixar que seu gênero a impeça de consegui-lo. Se lorde Kenyon insiste em contratar um homem, Amanda tem apenas uma opção. James St. Clair, o conde de Kenyon, sabe que seus filhos rebeldes precisam de um tutor impetuoso, alguém disposto a colocá-los na linha, e não de uma nova mãe.
Quando um jovem chamado sr. Seton se candidata à vaga, Jamie acredita que encontrou a resposta para seus problemas. Mas o viúvo está prestes a descobrir que, por baixo dos ternos largos e mal ajustados, esconde-se uma moça que pode lhe ensinar muito mais do que o esperado.

Amanda Leighton precisa desesperadamente de um emprego. Depois de ter resistido contra os avanços do ex-patrão, ela saiu do último emprego sem eira nem beira, e muito menos uma carta de recomendação. Para piorar, o nome de Amanda já foi envolto em escândalos alguns anos atrás, o que complica mais ainda a procura de um novo emprego. 

James St. Clair, conde de Kenyon, precisa desesperadamente de um tutor para seus filhos. Os gêmeos já mandaram embora mais babás do que ele poderia contar, e é por isso que agora James procura um homem que tenha pulso firme com seus filhos, que não são fáceis de lidar.

Quando Adam Seton, um jovem garoto franzino surge na porta do conde querendo um emprego, James sabe que ele não é o ideal para o papel. Porém, o desespero por alguém que tome conta de seus filhos enquanto ele trabalha é tanto que ele resolve aceitá-lo.

Adam na verdade é Amanda disfarçada de homem. E depois de tanto treinar ela acredita que pode enganar o novo patrão. Mas será que James não perceberá a tempo quem ela realmente é?
Um amor de vigarista é o terceiro dessa série maravilhosa, e que em breve terá o último livro lançado este ano. Apesar das poucas páginas, o que me fez sentir a falta de um epílogo, é um livro divertido e cheio de travessuras devido as traquinagens dos gêmeos, que vivem para pregar peças nos outros. E ao contrário do que eu imaginei, o romance é desenvolvido de uma maneira gostosa, apesar de um pouco rápida, mas nos deixando afoito para saber quando Amanda será descoberta.

Amanda por sinal é uma mulher muito inteligente, mas pelo fato de ser mulher ela não pode trabalhar como tutora, somente como babá ou professora. E o fato de ter seu nome em um terrível escândalo complicou a situação para a jovem que não tem onde cair morta. James, que é um pai um tanto relapso quanto a seus filhos, precisa de alguém que consiga controlá-los e que não vá embora no primeiro momento, coisa que Amanda consegue fazer. Porém, quando a verdade vier à tona, tudo aquilo que James acreditava sobre o novo tutor estará em jogo.

Se tem uma coisa que eu amei nesse livro são os gêmeos. Eles são muito sapecas e divertidos, gostam de se meter onde não devem, mas são fofos também. Apesar de não ter a menor paciência para crianças, é notável o quanto querem chamar a atenção do pai com suas travessuras. James por outro lado, trabalha na Câmara dos Comuns e por isso precisa tanto ir a audiência com eleitores, o que o deixa sem tempo para seus filhos, infelizmente. 

Dizer que eu amei esse livro é pouco. Achei ele divertido, sensual e muito gostoso de ler. Não vejo a hora de ler o último da série e ver como a autora vai fechar a ideia da Querida Conselheira Amorosa. Super recomendo!

Querida Conselheira Amorosa #3 | 304 páginas | Editora Harlequin


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 thoughts on “Um amor de vigarista – Laura Lee Gurke | Resenha

  1. Eu amo um monte de coisa nesse livro, primeiro que essa série é maravilhosa! Sempre fico com medo de conhecer novos autores de romance de época, mas a Laura foi um achado espetacular, agora leio tudinho dela. Segundo que eu adoro crianças, acho que o livro fica mais fofo, mais divertido. E sem contar essa loucura dela em se passar de homem, óbvio que a confusão era garantida e a diversão ainda mais.

  2. Gosto muito quando os romances tem crianças, porque elas sempre dão um quê a mais na trama e ver que aqui ainda são gêmeos sapecas, fica ainsa mais interessantes.
    Sem contar que fiquei tão curiosa para saber como será essa descoberta sobre o papel de Amanda.
    cheirinhos
    Rudy

@blogcapitulotreze

O livro de cada signo Rankeando os livros da série Bridgerton 10 livros mais abandonados pelos leitores de acordo com o Skoob Como melhorar seu inglês em pouco tempo 5 cafeterias para conhecer em Brasília