Há dois séculos, três irmãs foram condenadas à morte por, supostamente, cometerem bruxaria. Pedras foram amarradas em seus tornozelos, e elas morreram afogadas nas águas profundas que margeiam a cidade.

Agora, por um breve período de tempo – a cada dia primeiro de junho até o solstício de verão –, diz a lenda que as irmãs retornam, roubando os corpos de três meninas para que, por meio deles, possam buscar sua vingança, seduzindo e afogando meninos até a morte.

Como muitos habitantes locais, Penny Talbot, conhece a lenda de cor. Mas, neste ano, quando a cidade se prepara para o anual retorno das irmãs, um rapaz desconhecido, Bo Carter, chega à cidade buscando suas próprias respostas. E Penny o acolhe.

Mas quando corpos de meninos locais começam a aparecer no litoral, o clima de desconfiança e medo atinge a cidade, dando início a uma verdadeira caça às bruxas.

A narrativa alterna, os eletrizantes eventos do presente com relatos do diário das jovens condenadas por bruxaria, resultando em um thriller sobrenatural inesquecível.

A pequena cidade de Sparrow sofre uma maldição. Três irmãs foram mortas afogadas após serem acusadas de bruxaria, e por isso, a cada ano, no solstício de verão, elas voltam a cidade para se vingar.

Todas as garotas são suspeitas. Nenhum garoto está a salvo. Mas será que duzentos anos de mortes nunca cessarão?

A maldição do mar traz um enredo simplesmente viciante. Talvez seja pouco original – já que descobri facilmente os plots da trama – mas com uma narrativa leve e fácil e um ambientação mórbida com pitadas de suspense, é impossível não terminar essa história pensando em tudo o que aconteceu (e com algumas lágrimas também).

Em meio a passado e presente nós iremos conhecer a histórias das Irmãs Shaw, três mulheres que resolveram sair de Nova York para viver uma nova vida no Oeste. Mal sabiam ela que essa vida nova duraria pouco mais de alguns meses.

Marguerite, Aurora e Hazel são jovens e bonitas, e tão destemidas quanto sedutoras. É simplesmente fácil encantar os homens da cidade, e é por isso que em pouco tempo morando em Sparrow, elas começam a colecionar corações. Mas essa suposta facilidade em convencer os homens a ficarem com elas não poderia vir somente de um desejo puro e carnal, mas sim de feitiço e possessões (contém ironia). É por isso que a cidade resolve matá-las. Afogá-las no mar e livrar a cidade de três bruxas perversas.

Só que as coisas não saíram bem como eles imaginavam, e assim uma maldição se formou. A cada ano, no 1º dia de Julho, Marguerite, Aurora e Hazel voltam do mar à procura de vingança. Elas tomam o corpo de garotas e cada uma tem um objetivo em mente: matar jovens desavisados. E a temporada deste ano está prestes a começar…

Quem narra esta história é Penny, uma adolescente aparentemente comum que vive na ilha da cidade. Três anos atrás, sua vida se tornou um rastro do que era. Seu pai sumiu para nunca mais voltar, e a mãe, sentindo profundamente sua perda, se fechou em sua própria mente. Assim como todos os adolescentes da cidade, Penny tem o desejo de ir embora de Sparrow, mas tem motivos maiores para ficar.

E é no meio da temporada de afogamentos que um forasteiro chega à cidade. Bo Carter está em Sparrow à procura de emprego, mas definitivamente esconde mais do que revela. Quando ele e Penny se conhecem há um desejo grande dela o ajudar, ainda mais sabendo que ele não está seguro.

O envolvimento deles começa de dois estranhos para amigos. Penny e Bo escondem segredos um do outro, e só eles sabem o que revelá-los pode implicar.

A maldição do mar é aquele livro fácil que você lê em apenas um dia. Leve, com uma narrativa envolvente, personagens interessantes e um atmosfera sombria, eu fiquei totalmente viciada na história e só descansei até descobrir como ela terminaria.

Penny é uma personagem meio sem graça no início, vibes Bella Swan, mas a cada página vamos descobrindo mais sobre ela, desvendando seus segredos e suas motivações para ajudar Bo. E sendo sincera, eu achei ele bem opaco em comparação a ela, já que o personagem não tem muito aprofundamento. Mas o romance entre eles é interessante de acompanhar, não tem tantas cenas quentes porque a autora foca mais no suspense mas elas existem.

O final foi de arrasar o coração. Eu adorei mas também sofri com ele. Acho que não poderia ter sido outro, mas na minha mente fantasiosa, as coisas sairiam perfeitas, coisa que não aconteceu. Mesmo assim, toda a experiência de leitura foi incrível. Eu recomendo muitíssimo!

A maldição do mar | 320 páginas | Editora Galera Record

24 anos. Ama escrever e falar pelos cotovelos.
Posts criados 98

5 comentários em “A maldição do mar – Shea Ernshaw | Resenha

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados

Procura algo? Digite aqui e clicle em enter para pesquisar. e ESC para sair

A moda presente nos romances de época Autores nacionais para conhecer Um clichê, um livro Conheça os contos de Blackout Review: Um amor desastroso